10. Internacionalização

10.1 Qualificação internacional da formação docente e inserção em programas de intercâmbio

Em grande medida graças às políticas de qualificação do corpo docente de IES promovidas por agências centrais de fomento nas últimas duas décadas sobretudo, o PPGM-UFRJ pode hoje contar com um corpo docente formado, em nível de Doutorado e Pós-Doutorado, em universidades dos Estados Unidos, Europa e Oceania como University of Miami, West Virginia University, University of Illinois, University of Texas at Austin, Louisiana State University, Columbia University (EUA), Humboldt-Universität zu Berlin (Alemanha), Centre de Sociologie de l’Innovation de Paris (França), University of East Anglia (Inglaterra), Universidade de Aveiro (Portugal) e University of New South Wales (Austrália), contando ainda com um professor visitante na Universidade de Chicago (EUA). Decorre daí, entre outros fatores, a incorporação pelo Programa de parâmetros internacionais de qualidade na pesquisa e na produção científica.

O PPGM-UFRJ faz parte também, desde 2016, do Programa Institucional de Bolsas de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE) da CAPES, tendo através dele enviado para instituições como a McGill University (Canadá), Durham University (Inglaterra), Eastman School of Music (EUA), Carleton University (Canadá) e San Francisco State University (EUA) cinco alunos do Doutorado, além de um doutorando, através do Edital Erasmus, para o Dresden Music Cognition Lab (DMCL) de Technische Universität Dresden, e um aluno através de Edital Fullbright para o Louisiana State University (EUA).

O Programa participou nos últimos anos também dos editais PEC-PG e PAEC OEA-CGUB, tendo selecionado alunos de países latino-americanos como Cuba, Colômbia e México. Independente dos editais, o Programa recebe regularmente alunos estrangeiros, eventualmente da Europa e EUA. Em 2019, por exemplo, o Programa recebeu intercambista francês através de programa de mobilidade acadêmica.

10.2 Inserção internacional da produção intelectual do PPGM-UFRJ

Decorre desta variada interlocução com instituições estrangeiras de ensino não somente a internacionalização de parte da produção intelectual de docentes, discentes e egressos, como também a possibilidade de organização de eventos de âmbito internacional no PPGM-UFRJ (por exemplo o Simpósio Internacional de Musicologia, em sua décima edição em 2019, e o IV Congresso de Música e Matemática, que contou com a participação de renomados pesquisadores de várias instituições internacionais, além da MusMat – Brazilian Journal of Music and Mathematics, que tem contado com a colaboração de pesquisadores de ponta da área da Musicologia Sistemática).

Conta-se como reflexo desta internacionalização do Programa, ainda, as participações de professores, alunos e egressos em cursos e eventos no exterior. Neste sentido, destacamos o sólido diálogo estabelecido com instituições universitárias do universo lusófono, ilustrado por exemplo pelo oferecimento por docente do PPGM-UFRJ, em 2019, como professor visitante, de um Seminário Especializado “O Trabalho Musical em Foco” no Instituto de Etnomusicologia da Universidade de Aveiro (professor José Alberto Salgado, com vínculo metodológico com o projeto “Práticas de Interlocução e Registro Etnográfico sobre o Trabalho com Música”); b) a organização em 2019 de um Colóquio Internacional “Heitor Villa-Lobos e a Europa nos 60 anos de sua morte” pelo Grupo de Pesquisa “Polo Caravelas Brasil” na Universidade Nova de Lisboa (professor Alberto Pacheco).

A inserção internacional da produção do PPGM-UFRJ está embasada em projetos e parcerias interinstitucionais e intercâmbios docentes e discentes. Também desempenham um importante papel, neste processo, os eventos científicos e artísticos promovidos pelo Programa nos últimos anos, invariavelmente com vínculo temático aos seus Grupos de Pesquisa

10.2.1 Grupo de Pesquisa “Polo Caravelas Brasil” e Universidade Nova de Lisboa: O grupo “Polo Caravelas” compreende-se como um posto avançado do Centro de Estudos da Sociologia e Estética Musical sediado na Faculdade de Ciências Socais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. O Núcleo de Estudos tem como objetivo contribuir sistematicamente para a articulação musical entre os dois países, assim como fomentar interesse neste campo. Tendo em conta esses objetivos, julgou-se importante formalizar um polo desse núcleo no Brasil. Ou seja, o Grupo de Pesquisa pretende promover a integração da comunidade musicológica luso-brasileira, impactando positivamente no conhecimento que se tem da história da música de ambos os países, e na execução, análise, edição e divulgação de seu repertório.

10.2.2 Congressos e revista do Grupo de Pesquisa “MusMat”: O grupo MusMat promove desde 2016 a colaboração de pesquisadores de todo o mundo em torno da pesquisa na área, reunindo esforços no Congresso Nacional de Música e Matemática, o maior em importância da América Latina, e que teve em 2019 sua quarta edição, com participação de autores renomados (Robert Peck, Richard Cohn, Robert Morris, entre outros). A colaboração reflete-se no periódico científico MusMat – Brazilian Journal of Music and Mathematics, que apresenta artigos, entrevistas, resenhas, partituras musicais e notícias sobre a interação entre música e matemática aplicada à análise musical e à composição. É apresentada como publicação de acesso aberto, e publicada exclusivamente em língua inglesa, com periodicidade semestral.

10.2.3 Grupo de Pesquisa “Africanias”: além do trabalho com o CEA (Centro de Estudos Africanos) da UFMG e o NEAB (Núcleo de Estudos Africanos) do CEFET, o grupo tem colaborado ativamente também em projeto junto à Universidade Católica de Moçambique e à Universidade Nacional da Colômbia, integrando um esforço transcontinental de sintonia de conhecimentos relativos à diáspora africana e à integração desta com culturas ameríndias e europeias. O grupo integra uma rede de pesquisadores empenhados em construir uma conexão entre pesquisas autóctones até o momento dispersas.