PROGRAMA JORNADA INTERNACIONAL ‘O SOM DOS CASSINOS’

Rio de Janeiro

19 DE NOVEMBRO DE 2016 – sábado

Local: Consulado Geral da França /Bibliothèque Maison de France

[MANHA]                 

09h30 Abertura  Prof. Dr. Pauxy Gentil Nunes – Coordenador do PPGM/ UFRJ) ; Drª Suely Franco/UFRJ ; Guilhaume PIERRE (Adido de cooperação e de Ação Cultural/Consulado Geral da França no Rio de Janeiro)

9h45 Projeção do filme documentário: “Il y a du soleil dans la boutique” (França, 2008,12’).


10h                [INTERVALO /PAUSE CAFÉ]


10h30 – VIDEO CONFERENCIABrasil e França: encontros musicais

Prof.ª Dr.ª Anaïs Flechet (Centre d’Histoire Culturelle des Sociétés Contemporaines / Universidade de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines

11h15 Mesa 1:

Os cassinos do Rio de Janeiro como espaço de recepção de artistas franceses durante a ocupação: a viagem de Ray Ventura e sua orquestra na América do Sul”.

Drª Suely Franco/UFRJ /suelyfranco@musica.ufrj.br

Jean Sablon no Rio de Janeiro: modernidades sonoras e modernidades arquitetônicas. Diálogos Brasil-França.”

Prof. Dr Laurent Vidal (Universidade La Rochelle, CRHIA – Centre

de Recherches en Histoire Internationale et Atlantique)

Mediador : Profª Drª Marcia Taborda (PPGM/UFRJ)


12h30           [INTERVALO / PAUSE DÉJEUNER]


Local: Consulado Geral da França /Bibliothèque Maison de France

[TARDE]

13h30 a 14h30 Mesa 2 :

“La musique et les casinos en France : une obligation légale »

Prof. Dr. Gilles Demonet 

(Université Paris-Sorbonne /l’IReMus)

« Os desafinados: sambas e bambas no Estado Novo”

Prof. Dr. Adalberto Paranhos (Universidade Federal de Uberlândia –

UFU/ Programas de Pós-graduação em História e em Ciências Sociais

Mediador : Prof. Dr. João Vidal (PPGM/UFRJ)


14h45- 16h Mesa 3 :

« Les musiques populaires argentines et brésiliennes et le jazz en France : trois moments

Prof. Dr. Laurent Cugny (Université Paris-Sorbonne (Paris IV), 

Département de Musique et Musicologie

Entretenimento, canção popular e política no tempo de Getúlio Vargas” 

Prof. Orlando de BARROS (UERJ/ Instituto de Ciências Humanas e Filosofia)

Mediador : Profª. Drª. Suely Franco(PPGM/UFRJ)


16h                [INTERVALO /PAUSE CAFÉ]


16h -17h depoimentos  e debate

Ruy Castro “A Noite do meu bem –  o fim dos Cassinos em 1946 e o destino da música popular brasileira (escritor e jornalista); Maestro George Henry (músico francês, autor do livro “Um músico, sete vidas”), João Perdigão (pesquisador brasileiro e autor do livro O Rei da Roleta – A Incrível Vida de Joaquim Rolla; Flávio Barreto (jornalista, autor do livro “Apostas encerradas: o breve Império do Cassino Quitandinha)

Mediador:  Profª Dr. António Augusto (PPGM/UFRJ)


17h30 Lançamento do livro e coquetel de encerramento

Os desafinados: sambas e bambas no “Estado Novo” de Adalberto Paranhos

ANAÏS FLECHET

Mestre e doutora em história das relações internacionais da Universidade Paris 1 Panthéon-Sorbonne é professora de história na Universidade de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines, e pesquisadora do Centre d’Histoire Culturelle des Sociétés Contemporaines.  É colaboradora do Instituto Moreira Salles (RJ) e em 2013 participou como conferencista do 1º Simpósio Internacional Música e Ciências Sociais (ICHS/UFJF). É autora de Si tu vas à Rio. La musique populaire brésilienne en France au XXe siècle (Paris: Armand Colin, 2013) e Villa-Lobos à Paris. Un écho musical du Brésil (Paris: L’Harmattan, 2004), e editora de Une histoire des festivals XXe-XXIe siècles (Paris: Publications de la Sorbonne, 2013), Villa-Lobos. Des sources de l’oeuvre aux échos contemporains (Paris, Honoré Champion, 2012) e “Musique et Relations internationales”, número duplo da revista Relations internationales (Paris/Genève, n. 155-156 automne 2013-printemps2014). 

SUELY CAMPOS FRANCO http://lattes.cnpq.br/5987478320622571

Cientista Social (UFJF/1987), Mestre em Memória Social e Documentos (UNIRIO 1993), Doutora em Études du Monde Lusophonne (Paris 3 Sorbonne Nouvelle/2012) e em História (UFMG). Produtora Cultural da Escola de Música da UFRJ, atuando na organização de eventos culturais e científicos. Foi responsável pela gestão de projetos no CEREM -Centro de Referência Musicológica José Maria Neves. Participa frequentemente de encontros científicos no Brasil e exterior. Dedica-se atualmente aos estudos musicológicos tendo sido Bolsista da CAPES para o estágio Pós-doutoral na Universidade do Minho/Portugal em 2014. Em 2015, foi contemplada com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian (Portugal) para uma investigação sobre a música da Semana Santa na cidades de Braga e São João del-Rei. Membro do ARBRE – Association pour La Recherche sur le Brésil em Europe (desde 2013), realiza, desde 2008 pesquisas sobre circulação musical Brasil-França no período entre Guerras. Em Paris, realizou o documentário “Il y a du Soleil dans la boutique”, selecionado em edital da Cité Internacionale des Etudiants de Paris em 2009.

Laurent CUGNY

Université Paris-Sorbonne (Paris IV), Département de Musique et Musicologie

http://www.paris-sorbonne.fr/l-universite/nos-enseignants-chercheurs/article/cugny-laurent

Laurent VIDAL

Laurent VIDAL, nascido em 1967, é diplomado do Instituto de Estudos Políticos de Grenoble (1987), possui graduação e mestrado em história da Universidade de Grenoble (1988, 1990), doutorado em história da Universidade de Paris III Sorbonne Nouvelle (1995) e « Habilitação a dirigir pesquisas » da Escola dos Altos Estudos em Ciências Sociais (EHESS – 2005). Atualmente é Professeur des universités na Universidade de La Rochelle, diretor do « Centro de Pesquisa em História Internacional e Atlântica ».Foi professor visitante estrangeiro na Universidade Federal de Goiás (julho-outubro 2000), na Universidade Federal do Rio de Janeiro (março – junho 2008) et na UNESP-Assis (novembro de 2011), e será de novo na UFRJ entre fevereiro e agosto de 2017. Tem experiência na área de história do Brasil, das relações cidade-política, dos intercâmbios culturais entre Europa e o Novo Mundo. Ele coordenou o programa internacional ANR TERRIAT (2011-2015) : « sociedades, mobilidades, deslocamentos : os territórios da espera nas Américas ».

Giles DEMONET

Gilles Demonet est Maître de conférences à l’Université Paris-Sorbonne. Directeur adjoint de l’IReMus, il est responsable du Master Administration et gestion de la musique et du Master Degree in Performing Arts Management Paris Sorbonne-Abou Dhabi.
Il est aussi chargé de cours à l’Université Sorbonne Nouvelle-Paris 3 (Master professionnel Industries culturelles France-Italie) et à la Business School de Rome (Master’s Degree in Arts and Culture Management).

Orlando de BARROS

Professor da pós-graduação em História Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da UERJ.

Também foi professor na Universidade Federal Fluminense e no Colégio Pedro II. É autor de numerosos ensaios, artigos, capítulos em livros organizados e livros, dentre os quais Custódio Mesquita, um compositor romântico no tempo de Vargas (2001) e Corações De Chocolat, a história da Companhia Negra de Revistas (2005),  “O pai do futurismo no país do futuro” (2010) e “A guerra dos artistas, dois episódios da história brasileira durante a Segunda Guerra Mundial”, 2011.

Adalberto PARANHOS http://lattes.cnpq.br/9172103976395213

 

Professor do Instituto de Ciências Sociais, dos Programas de Pós-graduação em História e em Ciências Sociais e do curso de graduação em Música da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Professor visitante da Universidade de Lisboa. Mestre em Ciência Política (Unicamp), doutor em História Social (PUC-SP), com pós-doutorado em Música (Unicamp). Pesquisador do CNPq. Ex-vice-presidente e ex-presidente da IASPM-AL (seção latino-americana da International Association for the Study of Popular Music). Editor de ArtCultura: Revista de História, Cultura e Arte. Autor, entre outros livros, de O roubo da fala: origens da ideologia do trabalhismo no Brasil (2. ed. São Paulo: Boitempo, 2007) e Os desafinados: sambas e bambas no “Estado Novo” (São Paulo: Intermeios/CNPq/Fapemig, 2015). Assessor da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo), participa de conselhos editoriais e consultivos de 14 publicações e editoras acadêmicas. Publicou artigos em revistas especializadas e capítulos de livros no Brasil, Chile, Cuba, Estados Unidos, Inglaterra e Portugal. 

João Vicente VIDALhttp://lattes.cnpq.br/1569656226097321

Professor da pós-graduação em História Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da UERJ.

Também foi professor na Universidade Federal Fluminense e no Colégio Pedro II. É autor de numerosos ensaios, artigos, capítulos em livros organizados e livros, dentre os quais Custódio Mesquita, um compositor romântico no tempo de Vargas (2001) e Corações De Chocolat, a história da Companhia Negra de Revistas (2005),  “O pai do futurismo no país do futuro” (2010) e “A guerra dos artistas, dois episódios da história brasileira durante a Segunda Guerra Mundial”, 2011.

MARCIA TABORDA – http://lattes.cnpq.br/3048002134755260

Violonista, Doutora em História Social pela UFRJ, publicou pela editora Civilização Brasileira o livro Violão e identidade nacional: Rio de Janeiro 1830-1930, obra contempladacom  o premio Funarte de Produção Crítica em Música (2010). Pesquisadora Residente da Fundação Biblioteca Nacional (2016), está  desenvolvendo projeto acerca da música no texto dos viajantes europeus. Gravou para a  Acari Records o CD Choros de Paulinho da Viola com a obra do compositor escrita para o violão e para a ABM Digital o Cd Musica Humana com obras do repertório brasileiro contemporâneo.  É professora da  Escola de Música da UFRJ e Coordenadora  do Núcleo de estudos do violão (NEV-UFRJ).

ANTONIO JOSÉ AUGUSTO – http://lattes.cnpq.br/1387536270938369

Professor da pós-graduação em História Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da UERJ.

Também foi professor na Universidade Federal Fluminense e no Colégio Pedro II. É autor de numerosos ensaios, artigos, capítulos em livros organizados e livros, dentre os quais Custódio Mesquita, um compositor romântico no tempo de Vargas (2001) e Corações De Chocolat, a história da Companhia Negra de Revistas (2005),  “O pai do futurismo no país do futuro” (2010) e “A guerra dos artistas, dois episódios da história brasileira durante a Segunda Guerra Mundial”, 2011.

PAUXY GENTIL-NUNES http://lattes.cnpq.br/8142841171003183

Compositor e flautista. Mestre em composição e doutor em linguagem e estruturação musical, é também professor de harmonia, análise e composição na Escola de Música da UFRJ. Tem atividade criativa contínua e diversas obras executadas e gravadas no Brasil e no exterior. Em 2012, foi compositor residente do ABSTRAI Ensemble, em projeto aprovado em Edital da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro. Foi também compositor convidado, junto com a compositora Rami Levin, para a temporada 2012 do grupo de compositores Preludio 21. Foi contemplado duas vezes com encomenda de composição para as Bienais de Música Brasileira Contmporânea de 2013 e 2015, pela Fundação Nacional de Artes ? FUNARTE. Em 2015, participou, como compositor e palestrante, do festival EXPO 2015, em Milão, e do Festival I Virtuosi Século XXI, em Recife. Integra o grupo de pesquisas MusMat, focado em aplicações de modelos matemáticos em Composição. Atualmente é coordenador do Programa de Pós-Graduação em Música da UFRJ.

CREDITOS

ESCOLA DE MUSICA

Maria José Chevitarese – Diretora

Andrea Adour – Vice-diretora

SETOR ARTISTICO

Marcelo Jardim – Diretor Adjunto

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA

Pauxy Gentil-Nunes – Coordenador

AGRADECIMENTOS

Alan Riding – Anais Flechet – Any Collin – Anne Legrand – Andre Garcez – Beth Villela – Catherine Salvador – – Charles Langhendries – Doris Fagundes Haussen – Danielle Pistone – Emmanuel de Rickel – Fanny François – Guilhaume Pierre – Henrique Cazes – Ioná Zalcberg –  José Henrique Barbosa Moreira – Layse Ribeiro – Leonardo Bruno – Paulo Augusto Franco – Silvia Monte – Phillipe Jadim– Ruy Castro – Valéry Legronne – Sheila Zagury – Vania Dantas Leite –

VERSO

ORGANIZAÇÃO E REALIZAÇÃO

CENTRO DE LETRAS E ARTES/ ESCOLA DE MÚSICA DA UFRJ

Programa de Pós-Graduação em Música da UFRJ

Setor Artístico da Escola de Música

APOIO INSTITUCIONAL

Consulado Geral da França França no Rio de Janeiro (Bibliothèque Maison de France)

Museu da Imagem e do Som

ARBRE Association pour la Recherche sur le Brésil en Europe
(logo

CNRS – Brasil

PARCEIROS

55/Rio HOTEL

LE BISTROT DU CUISINER

CEZANNE COMUNICAÇÃO

CAPES/PAEP (logo)

Escrito por grupomusmat

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s