Proposta Curricular

3. PROPOSTA CURRICULAR

3.1. Áreas de concentração

O PPGM-UFRJ contempla três áreas de concentração: Educação Musical, Musicologia e Processos Criativos, englobando cinco linhas de pesquisa no total.

3.1.1. Área de Educação Musical

Tem como objeto de estudo o estudo das relações entre música e educação, entendidas como instâncias de criação de conhecimentos e como agentes transformadores de qualidade de vida sociocultural e individual, em quaisquer espaços de ocorrência do fenômeno musical, através de pesquisa científica e produção bibliográfica e artistica, incluindo dissertação (Mestrado Acadêmico) ou tese (Doutorado). Dentro da área desenvolve-se uma linha única.

3.1.1.1 Música, Educação e Diversidade

Estudos em educação musical voltados para a promoção da diversidade e interação social, entendidos em sentido amplo, e comprometidos com a transformação da qualidade de vida sociocultural e individual.

3.1.2. Musicologia

Tem como objeto de estudo os saberes e fazeres musicais, em suas diversas dimensões e manifestações, com ênfase histórica, antropológica, sociológica, política, teórica, analítica, crítica ou interdisciplinar, proporcionando o desenvolvimento da capacidade de reflexão, discussão e contextualização da música em diversas tradições e culturas, através de pesquisa científica e produção bibliográfica, incluindo dissertação (Mestrado Acadêmico) ou tese (Doutorado). Dentro da área, desenvolvem-se duas linhas de pesquisa.

3.1.2.1. Etnografia das práticas musicais

Abordagem etnográfica e histórica do fazer musical, enfatizando as relações entre as práticas acústicas e as demais expressões das sociedades humanas.

3.1.2.2. História e documentação da música brasileira e iberoamericana

Estudo da música brasileira e iberoamericana em seus aspectos históricos, sociológicos, antropológicos, políticos, culturais e analíticomusicais, com ênfase na investigação documental, construção e na crítica historiográfica.

3.1.3. Área de Processos Criativos

Tem como objeto de estudo a produção do discurso musical, a partir de experiências composicionais, interpretativas, performáticas, da realização do objeto musical em meios e suportes videofonográficos, da construção da escuta e dos estudos em tecnologia musical, proporcionando o desenvolvimento da capacidade de reflexão, discussão e contextualização da produção musical original e tradicional, bem como de sua performance e difusão, através de produção artística, pesquisa e produção bibliográfica, incluindo dissertação (Mestrado Acadêmico) ou tese (Doutorado). Dentro da área, desenvolvem-se duas linhas de pesquisa.

3.1.3.1. Práticas interpretativas e seus processos reflexivos

Pesquisa da prática interpretativa musical e de seus processos reflexivos, enfocando o pensamento atrelado à ação, para a construção do conhecimento da prática artística e de suas relações com experiências de natureza histórica, pedagógica e criativa.

3.1.3.2. Poéticas da criação musical

Estudos relacionados aos processos criativos em música e aos processos de significação do objeto musical, propiciando a emergência de novos modelos e abordagens do conhecimento em composição musical e sonologia, que conjuguem pesquisa e produção artística.

3.2. Disciplinas

As disciplinas são organizadas em torno dos grupos de pesquisa e projetos em andamento no PPGM-UFRJ, que podem ser conduzidos por um orientador principal ou por um grupo de orientadores, normalmente ligados a um dos grupos de pesquisa. Boa parte dos alunos é oriunda de projetos de iniciação científica ligados aos projetos da pós-graduação, já encontrando inserção no contexto dos projetos.

As disciplinas têm formato variado, podendo se dar como seminários, estágios, atividades artísticas, recitais e defesas de produção artística, e atividades complementares específicas, além da atividade de orientação em si.

Todas as disciplinas oferecidas pelo PPGM-UFRJ admitem em suas turmas alunos de cursos de Mestrado Acadêmico, Mestrado Profissional e de Doutorado, tanto do Programa quanto de outros programas credenciados pelo órgão competente do Ministério da Educação, assim como alunos externos (especiais).

3.2.1. Disciplinas obrigatórias

As disciplinas obrigatórias formam um campo mais abrangente, normalmente ligado à área de concentração, e abordando conteúdos de maior abrangência, correspondentes aos fundamentos dos projetos. As disciplinas obrigatórias abordam conteúdos de maior abrangência, normalmente ligados às áreas de concentração e correspondentes aos fundamentos dos projetos.

O Estágio Docente Supervisionado, realizado necessariamente na Unidade, é atividade obrigatória para os cursos de Mestrado Acadêmico e de Doutorado. O Estágio Docente Supervisionado é cumprido sob a supervisão de docente do Programa, em disciplina de Graduação, ministrada pelo próprio docente supervisor, e constitui-se na assistência às aulas da disciplina escolhida, durante um período letivo, ao longo do qual o aluno deverá ministrar ao menos 2 (duas) aulas e apresentar, ao final do semestre, relatório de observação e das aulas ministradas, assinado por ele e por seu supervisor.

3.2.2. Disciplinas optativas

As disciplinas optativas, por outro lado, cuidam de conteúdos específicos, ligados diretamente ao trabalho contínuo de pesquisa em curso nos projetos, abrangendo temas emergentes e inovadores, visando a abertura de horizontes e perspectivas para os alunos.

3.2.3. Atividades complementares

As atividades complementares (participação em Congressos, Simpósios, Seminários e Colóquios de Pesquisa) são parte importante do processo de inserção do aluno no ambiente de pesquisa e resultam necessariamente na publicação de trabalhos vinculados ao projeto de pesquisa.

3.3. Curso de Mestrado

O processo de seleção para ingresso no Mestrado é realizado através de Editais públicos, elaborado por comissões de seleção específicas, designadas e aprovadas pela Comissão Deliberativa do PPGM, formada pelo coordenador do PPGM-UFRJ, coordenadores das linhas e representante discente.

Para a obtenção do título de Mestre em Música o aluno reune em seu histórico acadêmico carga horária em disciplinas (seminários, estágios, orientações, atividades artísticas e complementares) não inferior a 360 (trezentas e sessenta) horas e com duração mínima de dois períodos letivos, em casos excepcionais, e máxima de 24 meses, dividindo-se em dois grandes módulos.

3.3.1. Módulos

3.3.1.1. Primeiro Módulo

No primeiro módulo, com duração de 12 meses, o aluno cumpre créditos em disciplinas obrigatórias e optativas, preparando-se para o exame de qualificação, que ocorre no final desta etapa ou no início da segunda etapa, de acordo com o andamento da pesquisa. É uma fase de aquisição de conteúdos, técnicas e fundamentos, visando a potencialização e o refinamento do trabalho de pesquisa individual, já em contato com o orientador. O exame de qualificação é julgado por uma banca composta por três Doutores, sendo pelo menos um externo ao Programa.

3.3.1.2. Segundo Módulo

No segundo módulo, com a pesquisa já aprovada no exame de qualificação, o aluno passa os 12 meses restantes cursando disciplinas mais específicas ao seu projeto e preparando a dissertação e a defesa. É uma fase de interação mais intensa com o orientador, e eventual coorientador, e quando o aluno é instado a participar de congressos e publicar artigos referentes ao seu trabalho. A banca de defesa é composta por três Doutores, sendo pelo menos um externo ao Programa.

3.3.2. Aproveitamento de créditos

Os alunos do curso de Mestrado Acadêmico do Programa têm a possibilidade, em seu currículo atual, de aproveitar até 180 (cento e oitenta) horas de atividades acadêmicas equivalentes, relacionadas à área de concentração do seu curso, de cursos anteriores, concluídos ou não, e de disciplinas isoladas, cursadas no próprio programa ou em outros programas da UFRJ ou de outra instituição, desde que a carga horária transferida seja relativa a curso de mesma nomenclatura ou de área afim.

3.3.3. Estrutura do curso

3.3.3.1. Disciplinas Obrigatórias (210 horas):

1) Seminários I e II (total de 90 horas)
2) Metodologia da Pesquisa em Música (45 horas)
3) Estágio Docente Supervisionado – Mestrado (30 horas)
4) Preparação de Exame de Qualificação (15 horas)
5) Orientação de Dissertação de Mestrado I (30 horas)

3.3.3.2. Disciplinas Optativas (ao menos 150 horas):

1) Seminários (no programa e em outros programas)
2) Tópicos Especiais (no programa e em outros programas)
3) Outras disciplinas (no programa e em outros programas)

3.3.3.3. Atividades complementares:

1) Publicação de trabalhos em livros e periódicos indexados (correspondendo a 45 horas de atividades acadêmicas);

2) Produção artística qualificada nos três estratos superiores estabelecidos pelo órgão avaliador do MEC (correspondendo a 45 horas de atividades acadêmicas);

3) Apresentação de comunicações orais de artigos aceitos pelos conselhos científicos de Congressos e eventos afins, com publicação em anais (correspondendo a 30 horas de atividades acadêmicas);

4) Apresentação artística solo aceita pelos conselhos científicos de Congressos e eventos afins, com publicação do texto (bibliográfico) do trabalho em anais (correspondendo a 30 horas de atividades acadêmicas);

5) Orientação de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) de graduação (correspondendo a 30 horas de atividades acadêmicas);

6) Apresentação de pôsteres aceitos pelos conselhos científicos de Congressos e eventos afins (correspondendo a 15 horas de atividades acadêmicas);

7) Apresentação artística de conjunto, aceita pelos conselhos científicos de Congressos e eventos afins, com publicação do texto (bibliográfico) do trabalho em anais (correspondendo a 15 horas de atividades acadêmicas);

8) Participação no Colóquio Anual de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Música da Escola de Música da UFRJ, com apresentação oral de trabalho e publicação do mesmo em anais (correspondendo a 15 horas de atividades acadêmicas).

3.4. Curso de Doutorado

O processo de seleção para ingresso no Doutorado é realizado através de Editais públicos, elaborado por comissões de seleção específicas, designadas e aprovadas pela Comissão Deliberativa do PPGM, formada pelo coordenador do PPGM-UFRJ, coordenadores das linhas, representante discente.

Para a obtenção do título de Doutor em Música o aluno integraliza em seu histórico acadêmico carga horária em disciplinas (seminários, estágios, orientações, atividades artísticas e complementares) não inferior a 480 (quatrocentos e oitenta) horas e com duração mínima de seis períodos letivos, em casos excepcionais, e máxima de 48 meses, perfazendo 36 créditos, dividindo-se em dois grandes módulos.

3.4.1. Módulos

3.4.1.1. Primeiro módulo

No primeiro módulo, com duração de 24 meses, o aluno cumpre créditos em disciplinas obrigatórias e optativas, preparando-se para o exame de qualificação, que ocorre no final desta etapa ou no início da segunda etapa, de acordo com o andamento da pesquisa. É uma fase de aquisição de conteúdos, técnicas e fundamentos, visando a potencialização e o refinamento do trabalho de pesquisa individual, já em contato com o orientador. O exame de qualificação é julgado por uma banca composta por três Doutores, sendo pelo menos um externo ao Programa.

3.4.1.2. Segundo módulo

No segundo módulo, com a pesquisa já aprovada no exame de qualificação, o aluno passa os 24 meses restantes cursando disciplinas mais específicas ao seu projeto e preparando a tese para a defesa. É uma fase de interação mais intensa com o orientador, e eventual co-orientador, e quando o aluno é instado a participar de congressos e publicar artigos referentes ao seu trabalho. A banca de defesa é composta por cinco Doutores, sendo pelo menos dois externos ao Programa.

3.4.2. Aproveitamento de créditos

Os alunos do curso de Doutorado têm a possibilidade, em seu currículo atual, de aproveitar até 240 (duzentos e quarenta) horas de atividades acadêmicas equivalentes, relacionadas à área de concentração do seu curso, de cursos anteriores, concluídos ou não, e de disciplinas isoladas, cursadas no próprio programa ou em outros programas da UFRJ ou de outra instituição, desde que a carga horária transferida seja relativa a curso de mesma nomenclatura ou de área afim.

3.4.3. Estrutura do curso:

3.4.3.1. Disciplinas obrigatórias (210 horas):

1) Seminários Avançados I e II (90 horas)
2) Preparação de Exame de Qualificação (15 horas)
3) Estágio Docente Supervisionado (45 horas)
4) Orientação de Tese de Doutorado I e II (60 horas)

3.4.3.2. Disciplinas optativas (ao menos 270 horas):

1) Seminários (no programa e em outros programas)
2) Tópicos Especiais (no programa e em outros programas)
3) Outras disciplinas (no programa e em outros programas)

3.4.3.3. Atividades Complementares

1) Atividades complementares I (15 horas)
2) Atividades Complementares II (30 horas)
3) Atividades Complementares III (30 horas)
4) Atividades Complementares IV (45 horas)
5) Atividades Complementares V (45 horas)

a) Produção bibliográfica e/ou artística orientada (vinculada necessariamente ao projeto de pesquisa ao qual o aluno está vinculado), com resultante publicação em livros, periódicos científicos ou anais de eventos científicos nacionais ou internacionais (congressos, simpósios, colóquios) qualificados.

b) Publicação de trabalhos em livros e periódicos indexados (correspondendo a 45 horas de atividades acadêmicas);

c) Produção artística qualificada nos três estratos superiores estabelecidos pelo órgão avaliador do MEC; apresentação de comunicações orais de artigos aceitos pelos conselhos científicos de Congressos e eventos afins, com publicação em anais (correspondendo a 30 horas de atividades acadêmicas);

d) Apresentação artística solo aceita pelos conselhos científicos de Congressos e eventos afins, com publicação do texto (bibliográfico) do trabalho em anais (correspondendo a 30 horas de atividades acadêmicas);

e) Orientação de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) de graduação (correspondendo a 30 horas de atividades acadêmicas);

f) Apresentação de pôsteres aceitos pelos conselhos científicos de Congressos e eventos afins (correspondendo a 15 horas de atividades acadêmicas);

g) Apresentação artística de conjunto, aceita pelos conselhos científicos de Congressos e eventos afins, com publicação do texto (bibliográfico) do trabalho em anais (correspondendo a 15 horas de atividades acadêmicas);

h) Participação no Colóquio Anual de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Música da Escola de Música da UFRJ, com apresentação oral de trabalho e publicação do mesmo em anais (correspondendo a 15 horas de atividades acadêmicas).

3.5. Experiências inovadoras de formação

O PPGM-UFRJ promove importantes experiências de inovação, ligadas tanto aos grupos de pesquisa como às atividades complementares e estágios docentes. Como exemplo, quatro experiências são destacadas.

3.5.1. Programação e publicação de aplicativos digitais no Grupo de Pesquisas MusMat

No âmbito do Grupo de Pesquisas MusMat, ligado à linha “Poéticas da criação musical”, os alunos reunem-se semanalmente para troca de experiências e informações a respeito de programação de software ligados à análise e composição musical assistida por computador.

Esses encontros promovem a participação direta dos alunos na confecção, manutenção e atualizaçao de aplicativos digitais (28 até o momento), cobrindo áreas ainda sub-aproveitadas no âmbito da didática composicional e analítica (por exemplo, Teoria Neo-riemanniana, Variação Progressiva e Grundgestalt, Análise Particional, Teoria dos Conjuntos, Teoria dos Contornos).

Os programas são desenvolvidos na plataforma Matlab e são lançados em versão Windows e OSX, sendo que está em pleno curso a portagem dos mesmos para a plataforma Linux. Todos os programas são disponibilizados para download gratuito no site do Grupo (www.musmat.org).

Os alunos participam também do Grupo MusMat no Facebook, onde é promovida uma intensa troca de informações em tempo integral sobre esta atividade, visando o comprometimento e a integração entre os participantes do Grupo de Pesquisa.

No momento, o grupo conta com 28 integrantes e os alunos participam também do gerenciamento do site, aproveitando assim a oportunidade para se atualizar sobre os processos de organização e difusão de informações.

3.5.2. Trabalho de campo na comunidade da Maré

O projeto Som da Maré, ligado à linha “Etnografia das Práticas Musicais”, também é um importante marco de inovação acadêmica, envolvendo também docentes e discentes do PPGM-UFRJ e da própria comunidade. O projeto inclui oficinas e trabalho de campo nas favelas da Maré e promove instalações, utilizando recursos sonoros, visuais e interativos que ocupam três galerias no Museu da Maré. O projeto tem grande impacto na articulação do conhecimento de jovens universitários com os produtores culturais da comunidade, trazendo mais uma ferramenta de resistência e afirmação da cultura do Rio de Janeiro.

3.5.3. Arte e cultura da diversidade: diferença sem exclusão

O Projeto “Educação Musical na Diversidade: o processo criativo coletivo e o empoderamento da pessoa em sofrimento psíquico (2016)”, ligado à linha “Música, educação e diversidade”, também inova ao desenvolver pesquisas de integração da música com a dança no desenvolvimento do bem estar e da saúde do indivíduo, em convênio com o Instituto de Psiquiatria da UFRJ (IPUB-UFRJ), Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Superintendência de Saúde Mental (SMS-RJ) e Escola de Educação Física da UFRJ. O projeto propõe uma visão integrada do conceito de saúde, que envolve no mesmo nível a educação, a arte e a inclusão social. O projeto tem convênio também com o Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES), aonde desenvolve-se pesquisa sobre o impacto de aulas de música no desenvolvimento de crianças com deficiências auditivas severas. O projeto envolve alunos, docentes e pesquisadores das instituições participantes e permite o constante fluxo de experiências entre diferentes Unidades da UFRJ.

3.6. Ensino à distância

No momento, o PPGM-UFRJ ainda não tem programa implantado de ensino à distância, sendo um dos pontos a serem tratados durante o presente quadriênio.