A Canção Luso-Brasileira no Século XIX

Projeto de pesquisa
Alberto Pacheco, docente responsável
Diana Maron, mestranda
Ruthe Pocebon, mestranda

Apresentação

A partir de finais do século XVIII, exemplos de canção urbana são cada vez mais numerosos no antigo império luso-brasileiro. Por exemplo, em Lisboa, no início da década de 1790, foi lançado o Jornal de Modinhas e, após isto, outros periódicos musicais surgiram em Portugal e também no Brasil. Em ambos os lados do Atlântico, estes periódicos estão entre os veículos mais importantes na disseminação ou divulgação de música urbana, em especial a de câmara ou doméstica (modinhas, lundus, recitativos de salão, valsas, polcas etc), mas também gêneros dramáticos (aberturas, árias, duetos e outros conjuntos operáticos).

Ao mesmo tempo, uma série de editoras musicais, como aquelas de P. Laforge e E. Bevilacqua, foram se estabelecendo no Brasil e publicando um repertório numeroso e variado.

O objetivo deste projeto é analisar, editar e interpretar o cancioneiro luso-brasileiro em circulação no Brasil antes de 1922 – em especial aquele guardado nos arquivos do Rio de Janeiro. Isso inclui uma pesquisa sobre o estilo e técnica de canto que era empregado pelos intérpretes daqueles dias.

Da mesma forma, a prática vocal destes cantores, sua formação e atuação musical como um todo são de interesse, ao fornecer subsídios para uma interpretação historicamente informada do cancioneiro em questão.

O resultado final serão artigos científicos, edições críticas, e concertos.

Referências

ALBUQUERQUE, Maria João Durães. A edição musical em Portugal (1750-1834). Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2006.

ANDRADE, Isabel Freire de. “Portuguese Music Periodicals”. Supplement of Fontes Artis Musicae. Vol. 35/3, 1988.

CASTAGNA, Paulo. “Periódicos musicais brasileiros no contexto das bibliografias e bases de dados na área de música.” In: Anais do VII Encontro de Musicologia Histórica. Juiz de Fora: Centro Cultural Pró-Música, 2006.

ELLIOTT, Martha. Singing in Style: a guide to vocal performance pratices. New Haven: Yale University Press, 2006.

MORAIS, Manuel. Modinhas; lunduns e cançonetas. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2000.

NERY, Rui Vieira. Para uma história do fado. Lisboa: Público/Corda Seca, 2004.

MATOS, Cláudia Neiva de; TRAVASSOS, Elizabeth; MEDEIROS, Fernanda Teixeira de (org.). Palavra cantada: ensaios sobre poesia, música e voz. Rio de Janeiro: 7 Letras; Faperj, 2008.

PAIVA, Rejane; CRANMER. David (ed.). Portugal, Marcos. Modinhas para uma ou duas vozes e instrumento de tecla. Lisboa: Instituto das Artes, 2006.

PACHECO, Alberto José Vieira. “O Álbum Melodias Brasileiras de José Amat: um exemplo do nacionalismo musical brasileiro pré-andradiano”. Brasiliana, Academia Brasileira de Música, n. 25, jun. 2007.

__________. Castrati e outros virtuoses: a prática vocal carioca sob a influência da corte de D. João VI. São Paulo: Annablume, Fapesp, CESEM, 2009a.

__________. “Hino para a Aclamação de D. João VI: edição e contextualização (com partitura inédita)”. Opus, vol. 18, p. 41-72, 2012a. (Available at: http://www.anppom.com.br/opus/data/issues/archive/18.1/files/OPUS_18_1_Pacheco.pdf)

__________. “A Modinha estrófica: questões sobre sua interpretação e edição”. In.: Entre gritos e sussuros: os sortilégios da voz cantada. Heloísa de A. Duarte Valente; Juliana Coli (org.). São Paulo: Letra e Voz, 2012b.

__________. “Padrões de pronúncia no português cantado: questão também para musicólogos ou apenas para cantores e compositores?” In: Actas do Simpósio “A Pronúncia do Portugues Europeu Cantado”, Caravelas, FCSH, Universidade Nova de Lisboa, 2009b.

STEIN, Deborah J.; SPILLMAN, Robert. Poetry into song: performance and analysis of Lieder. New York. Oxford: Oxford University Press, 1996.

VALENTIM, Maria José Quaresma de Carvalho Alves Borges. A produção musical de índole política no período liberal (1820-1851). Thesis (master). Lisboa: Universidade Nova de Lisboa, 2008.