A escola do violão de 7 cordas brasileiro: da origem às manifestações atuais

A escola do violão de 7 cordas brasileiro: da origem às manifestações atuais 📄
Marcello Gonçalves

Resumo: No ano de 1986, o violonista Raphael Rabello encomendou ao luthier Mario Jorge Passos um violão de 7 cordas com encordoamento de nylon, adaptando a linguagem desenvolvida por Dino 7 Cordas, no instrumento de cordas de aço e com função de acompanhamento, para uma sonoridade mais próxima do violão clássico, em um ambiente solista. Essa experiência teve grande êxito, o que pode ser observado não só nos trabalhos artísticos produzidos por Raphael como também na quantidade de violonistas que adotaram o instrumento por essa influência. Este artigo tem por objetivo identificar algumas relações entre o cenário atual do violão de 7 cordas de nylon solista e a linguagem original do instrumento desenvolvida por Dino. 

Palavras-chave: Violão de 7 cordas. Dino 7 Cordas. Raphael Rabello. Rogério Caetano. Yamandu Costa.