A legitimidade da escuta num mundo ocidentalmente pré-fabricado

A legitimidade da escuta num mundo ocidentalmente pré-fabricado 📄
Priscila Loureiro Reis

Resumo: Pensar no dizer pronunciado pela música é percorrer os caminhos que unificam linguagem, escuta e sentido. A articulação da música com a tensão entre recolhimento e anúncio se dá na capacidade do discurso musical dizer o inaudito, o não verbalizável. No percurso da Cultura Ocidental, onde a vigência técnica é a principal matriz pulsante, o saber foi reduzido a tudo o que pode ser medido, identificado e representado. Nesta instância, o homem tem se automatizado progressivamente, tendo cada vez mais seus sentidos embotados. O presente artigo investiga a legitimidade da escuta como possibilidade de acesso ao saber.

Palavras-chave: Escuta. Linguagem. Sentido. Música. Memória.