Abordagens sistemáticas de aspectos estruturais em música popular (2017)

Projeto de pesquisa do Grupo MusMat
Carlos Almada, docente responsável

Idioma alternativo para processo seletivo (Doutorado): alemão ou francês

Introdução

O presente projeto, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi idealizado a partir da constatação de que há no meio acadêmico atual poucos estudos sistemáticos voltados a aspectos da música popular, se comparados àqueles vinculados à área da música de concerto. Ainda que observe-se atualmente uma saudável e bem vinda tendência crescente de novas abordagens voltadas para tal sistematização, tratam-se, via de regra, de iniciativas isoladas, não correlacionadas a um projeto abrangente. Além disso, o campo de estudos mostra-se como potencialmente vasto e relativamente inexplorado.

Considero que a conjunção de tais argumentos justifica, por si só, a viabilização deste projeto. Contudo, motivações mais específicas (abaixo detalhadas), relacionadas a pesquisas idealizadas e em andamento (como ramificações de outros projetos) vêm ao encontro dos objetivos essenciais da presente proposta.

Estado da arte

De um modo geral, estudos sobre gêneros musicais populares envolvem em grande parte abordagens etnomusicológicas ou voltam-se para questões alheias à estrutura musical. Tal quadro vem sendo aos poucos modificado, especialmente dentro do meio acadêmico norte-americano. Neste sentido, é possível encontrar alguns importantes trabalhos que, ainda que pontuais, indicam uma tendência que vem se ampliando nas últimas décadas. Entre estes, podemos citar: o estudo desenvolvido por Allen Forte (1995), que examina obras da assim chamada Era de Ouro da Canção Americana (1924-50) sob a perspectiva de suas estruturas, envolvendo ritmo, forma, contorno melódico, harmonia e relação entre texto e música, utilizando métodos normalmente aplicados à música de concerto, entre os quais se destaca uma adaptação metodológica da análise schenkeriana. O uso dessa ferramenta específica para investigações das estruturas em música popular é também foco de artigo de Cristóbal Gallardo (2000), que contempla suas diversas particularidades diante dos princípios básicos estabelecidos por Schenker. A aplicação do método em gêneros diversos se observa em trabalhos de alguns autores, entre os quais, Walter Everett (1998), que o emprega para analisar canções dos Beatles e Steve Larson (1987), voltado para o exame da improvisação jazzística. Destacam-se também, envolvendo outras teorias e metodologias, os estudos de Steven Gilbert (1984), sobre relações contrapontística em composições de Gershiwn e o de Edward Green (2008), sobre o emprego do princípio da Grundgestalt para o entendimento da música de Duke Ellington. Recentemente, a expansão da análise neorriemaniana para abranger as relações tonais em gêneros populares tem-se mostrado um campo de estudos promissor, voltando-se para o jazz (Briginshaw, 2012) e para o rock (Capuzzo, 2004), entre outros gêneros.

Objetivos

Retomando estudos isolados previamente realizados sobre aspectos estruturais da música popular (especialmente brasileira),[1] a presente proposta tem como objetivo essencial empreender uma sistematização abrangente de diversas perspectivas possíveis, englobando gêneros e abordagens distintas.

Como objetivos específicos:

  • Realização de investigações voltadas a aspectos e repertórios selecionados através de subprojetos em nível de iniciação científica, mestrado e doutorado;
  • .Desenvolvimento eventual de programas computacionais de auxílio à análise;
  • Aproveitamento de resultados obtidos para composição musical (com finalidades de pesquisa, pedagógicas e/ou artísticas);
  • Redação de artigos científicos, focalizando aspectos teóricos, analíticos e metodológicos envolvidos na pesquisa.

Metodologias e fundamentações teóricas associadas

A serem establecidas e detalhadas de acordo com as naturezas dos subprojetos específicos. No entanto, considerando os trabalhos já realizados, seria possível relacioanr como principais pontos de partida dois eixos: (1) a Teoria da Análise Schenkeriana, contemplando seus inúmeros desdobramentos (especialmente aqueles que tocam o cerne desta proposta) e (2) a Teoria Neorriemaniana, envolvendo especialmente as contribuições propostas por David Kopp (2006), que têm sido por mim empregadas recentemente como base para estudos teóricos.

Referências

ALMADA, Carlos de L. Correlações entre frequência de ocorrência e idiomatismo na criação de aplicativos computacionais para composição de choros pixinguinianos. In: XXIV ENCONTRO ANUAL DA ANPPOM, 2014. São Paulo. Anais … São Paulo: UNESP, 2014.

_______________. The hierarchical and combinatorial nature of the rhythmic structure of Brazilian choro. In: PRINCIPLES OF MUSIC COMPOSING: THE PHENOMENON OF RHYTHM, 13. 2013a, Vilnius (Lituânia). Anais…p.132-138.

_______________. Contraponto em música popular: fundamentação teórica e aplicações composicionais. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2013b.

_______________. Considerações sobre a análise de Grundgestalt: aplicada à música popular. Per Musi – Revista Acadêmica de Música, Belo Horizonte, n.29, 2013c, p. 117-124.

_______________. O choro como modelo arquetípico da Teoria Gerativa da Música Tonal Revista Brasileira de Música, Rio de Janeiro, vol.25, nº 1, p.61-78, jan-jun., 2012a.

_______________. Correlações entre estrutura musical e narrativa poética em Carinhoso. Revista Brasileira de Estudos da Canção, Natal, vol. 1, nº 1, jan-jun, 2012b.

_______________. Considerações sobre aplicações da análise schenkeriana em estudos de música popular. In: 3er  CONGRESO LATINOAMERICANO DE FORMACIÓN ACADÉMICA EN LA MÚSICA POPULAR, 2011. Villa María. Anais … Villa María: UNVM, 2011. 1 CD-ROM.

_______________. Chovendo na roseira de Tom Jobim: Uma abordagem schenkeriana. Per Musi – Revista Acadêmica de Música, Belo Horizonte, n.22, 2010, p. 99-106. Disponível em:

< http://www.musica.ufmg.br/permusi/port/numeros/22/num22_cap_08.pdf.pdf >

_______________. Samba de uma nota só: elementos musicais a serviço da expressão poética. In: XIX ENCONTRO ANUAL DA ANPPOM, 2009. Curitiba. Anais … Curitiba: UFPR, 2009. 1 CD-ROM (3 p.).

_______________. A estrutura do choro. Rio de Janeiro: Da Fonseca, 2006.

BRINGINSHAW, Sara. A Neo-Riemannian Approach to Jazz Analysis. Nota Bene: Canadian Undergraduate Journal of Musicology: v. 5/1, 2012.

Disponível em: http://ir.lib.uwo.ca/notabene/vol5/iss1/5

CAPUZZO, Guy. Neo-Riemannian Theory and the Analysis of Pop-Rock Music. Music Theory Spectrum 26.2, 2004, pp.177-199.

EVERETT, Walter. The Beatles as Composers: The Genesis of Abbey Road, Side Two. In: MARVIN, Elisabeth West. Concert Music, Rock, and Jazz Since 1945:
Essays and Analytical Studies
. Rochester: Rochester University Press, 1998. p. 172-258

FORTE, Allen. The American popular ballad of golden era, 1924-50. Princeton: Princeton University Press, 1995.

GALLARDO, Cristóbal L. Garcia . Schenkerian analysis and popular music. Transcultural Music Review, nº 5, 2000. Disponível em:

http://www.sibetrans.com/trans/trans5/garcia.htm. Acesso em: 30/10/2009.

GILBERT, Steven E. Gershwin´s art of counterpoint. Musical Quaterly, n. 70/4, 1984, p. 423-56.

GREEN, Edward. ‘‘It don’t mean a thing if it ain’t got that Grundgestalt!’’— Ellington from a motivic perspective. Jazz Perspectives, vol. 2, no. 2, p. 215–49, 2008.

KOPP, David.  Chromatic transformations in Nineteenth-Century music. Nova Iorque: Cambrigde Univertsity Press, 2006.

LARSON, Steve. A tonal model of an “atonal” piece: Schoenberg´s Op. 15, number 2. Perspectives of New Music, Nova York, vol. 25, nº 1/2, p. 418-433, 1987.

RAMOS, Pedro, AVELLAR, Alexandre & ALMADA, Carlos de L. Modelização de um choro pixinguiniano para composição algorítmica. In: XXIV ENCONTRO ANUAL DA ANPPOM, 2014. São Paulo. Anais … São Paulo: UNESP, 2014.

[1] São os seguintes: (1) análise estrutural de Samba de uma nota só, de Tom Jobim e Newton Mendonça (ALMADA, 2009); (2) proposta teórica para contraponto em música popular  (ALMADA, 2013b); (3) análises schenkerianas de duas canções de Tom Jobim, Chovendo da Roseira (ALMADA, 2010) e Samba de uma nota só (ALMADA, 2011) e de Carinhoso, de Pixinguinha e João de Barro (ALMADA, 2012b); (4) análise prolongacional do choro Proezas de Solon, de Pixinguinha (ALMADA, 2012a); (5) análises de Grundgestalt de Chovendo da Roseira, de Jobim e Something, de George Harrison (ALMADA, 2013c); (6) estudos diversos relacionados à estrutura do choro (ALMADA, 2006; 2013a; 2014; RAMOS, AVELLAR & ALMADA, 2014).