Africanias: a música vocal brasileira e a relação Brasil-África

Projeto de pesquisa do Grupo de Pesquisa Africanias

Andrea Adour, docente responsável
Elizabeth Marques, mestranda
Antonilde Rosa, mestranda

Apresentação

Este projeto busca compreender a presença africana nos diferentes gêneros da  música brasileira.

Tal presença foi espargida, desde o século XVI, período em que o modelo econômico adotado por Portugal em sua colônia, utilizou mão de obra escrava, escravizando os povos locais, chamados por seus colonizadores genericamente de índios e povos africanos, trazidos sobretudo da África sub-saariana.

Diversos povos africanos provenientes de diferentes etnias, línguas e culturas, que aqui encontraram-se e entoaram seus cantos e construíram seus instrumentos, manifestando sua presença em sons no novo mundo, em Africanias.

O encontro entre tais saberes e a música de origem europeia foi campo de interesse de  diversos compositores, em diferentes gêneros e estilos musicais e possibilitou a composição de amplo repertório onde podemos perceber o eco da presença africana. Entretanto, este repertório é muitas vezes mal compreendido em decorrência da dificuldade de compreensão do vocabulário e das tradições africanas que o cercam.

Este projeto de pesquisa visa o estudo e a compilação de obras da música vocal brasileira que possuam africanias. O projeto além disso propõe a elaboração e publicação de um vocabulário de termos africanos e africanias, de modo a auxiliar instrumentistas e cantores na interpretação da música vocal brasileira.

Referências

ALTUNA, Pe. Raul Ruiz de Asúa. Cultura tradicional bantu. Luanda: Secretariado Arquidiocesano de Pastoral, 1985.

ASSIS JUNIOR, Antonio de. Dicionário kimbundu-português. Luanda: Argente, Santos (s. d)

CASTRO, Yeda Pessoa de. A língua mina-jeje no Brasil: um falar africano em Ouro Preto no século XVIII. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro , 2002. (Série Clássicos).

CASTRO, Yeda Pessoa de. Das línguas africanas ao português brasileiro. Revista Afro-Ásia, Salvador, n.14, 1983.

CASTRO, Yeda Pessoa de. Falares africanos na Bahia: um vocabulário afro-brasileiro. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras; Topbooks, 2005.

CASTRO, Yeda Pessoa de. Marcas de africanias no português brasileiro. Revista Africanias.  http://www.africaniasc.uneb.br/pdfs/n_1_2011/ac_01_castro.pdf. Acesso em: 20. set. 2015

KAGAME, Alexis. A percepção empírica do tempo e concepção da história no pensamento bantu. In: _____. As culturas e o tempo: estudos reunidos pela UNESCO por Paul Ricoeur e outros. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1975.