Cravistas estrangeiros no Rio de Janeiro do Século XX

Projeto de pesquisa
Marcelo Fagerlande, docente responsável

Idioma para processo seletivo (Doutorado)
espanhol ou francês

Apresentação

O presente projeto visa estudar a presença de cravistas estrangeiros na cidade do Rio de Janeiro ao longo do século XX, e, a partir de suas atividades artísticas e eventualmente didáticas, compreender qual foi sua contribuição para o desenvolvimento das atividades em torno do instrumento na mesma cidade. Considerando a importância do cravo para a  História da Música Brasileira, em especial a carioca, tanto por sua utilização no passado quanto por sua presença mais recente na vida artística, uma investigação inédita sobre  os cravistas estrangeiros no Rio de Janeiro, com ênfase no impacto exercido por suas atividades, poderá justificar a pesquisa que pretendemos desenvolver.

Objetivos e Procedimentos

O principal objetivo de nossa investigação é o levantamento dos cravistas estrangeiros que exerceram atividade profissional na cidade do Rio de Janeiro no decorrer do século XX. Um segundo objetivo é o de especificar suas atividades artísticas: quando e onde se apresentaram e qual (quais) o(s) programa(s) interpretado(s). Investigaremos ainda se também exerceram alguma atividade didática, concomitante aos compromissos artísticos identificados. Caso positivo, pesquisaremos quando e onde isto se deu e quais foram as circunstâncias que envolveram a atividade. Outro objetivo, decorrente da análise dos dados levantados e especificados anteriormente, será o de compreender quais foram os impactos para a vida musical carioca como um todo, e mais especificamente, para o desenvolvimento das atividades artísticas e didáticas em torno do cravo em nossa cidade.

O desenvolvimento da investigação considera a pesquisa:

  1. em periódicos cariocas publicados de 1900 a 2000;
  2. dos programas de concertos das principais salas; e
  3. nos arquivos de instituições de ensino.

Serão realizados ainda entrevistas com intérpretes e demais músicos ou produtores culturais que estiveram diretamente ligados às atividades pesquisadas, e um estudo comparativo a partir

das informações recolhidas, a fim de tecer as conclusões sobre o objeto de estudo, amparado na bibliografia existente.

Referências

ALBUQUERQUE, Clara Fernandes. A formação do cravista no Brasil: um estudo sobre história, técnicas e habilidades. Rio de Janeiro, UFRJ, Dissertação de Mestrado, 2008.

CHAVES Jr, Edgar de Brito. Memórias e glórias de um Teatro. Sessenta Anos de História do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Companhia Editora Americana, 1971.

DRILLON, Jacques. Sur Leonhardt. Paris, Éditions Gallimard, 2009.

ERMAKOFF, George (texto), Mascaro, Cristiano (fotos). Theatro Municipal do Rio de Janeiro – 100 anos. Rio de Janeiro, G. Ermakoff Casa Editorial, 2010.

HAYNES, Bruce. The End of Early Music. Oxford, Oxford University Press, 2007.

HARNONCOURT, Nikolaus. O Diálogo Musical. Rio de Janeiro, Zahar, 1993.

KIVY, Peter. Authenticities. Philosophical Reflection on Musical Performance. Ithaca– Londres, Cornell University Press, 1995.

LANDOWSKA, Wanda. Musique ancienne. Paris, Éditions Ivrea, 1996.

MAGALDI, Cristina. Concert life in Rio de Janeiro, 1837 – 1900. Los Angeles, University of California, Tese de Doutorado, 1994.

MARQUES, Clovis. Um Cravo Magistral. Demais? In A Música Falada – Doze anos de concertos no Rio de Janeiro e em São Paulo. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2010.

MARQUES, Clovis. O passado fala. In A Música Falada – Doze anos de concertos no Rio de Janeiro e em São Paulo. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2010.

MARQUES, Clovis. Sala Cecilia Meireles – 40 anos de música. Rio de Janeiro, Associação dos Amigos da Sala Cecilia Meireles, 2006.

PEREIRA, Mayra. Do Cravo ao Pianoforte – um estudo documental e organológico. Rio de Janeiro: UFRJ, Dissertação de Mestrado, 2005.

RESTOUT, Denise (Ed.). Landowska on Music. New York, Stein and Day, 1981. Stanley

(Ed.). The New Grove Dicitionary of Music and Musicians. London, Macmillan publishers limited, 1980.