Editais 2021 – Bibliografia (Prova Dissertativa Específica)

(Os arquivos em formato PDF relativos aos excertos listados podem ser solicitados pelo e-mail posgraduacao@musica.ufrj.br)

MESTRADO

ARTIGOS CIENTÍFICOS EM INGLÊS

Área: Educação Musical – Linha: Música, Educação e Diversidade

  1. DUNBAR-HALL, Peter. Ethnopedagogy: Culturally contextualised learning and teaching as an agent of change. Action, Criticism, and Theory for Music Education, v. 8, n. 2, p. 60-78, 2009.

Área: Musicologia – Linha: Etnografia das Práticas Musicais

  1. NETTL, Bruno.What are the great discoveries of your field? Informal comments on the contributions of ethnomusicology. Muzikoloski Zbornik, v. 51, n. 2, p. 163-174, 2015.

Área: Musicologia – Linha: História e Documentação da Música Brasileira e Ibero-americana

  1. DENORA, Tia. How is extra-musical meaning possible? Music as a place and space for “work”. Sociological Theory, v. 4, n. 1, p. 84-94, 1986.

Área: Processos Criativos – Linha: Poéticas da Criação Musical

  1. Projeto: As escutas: o som, o ritmo e as materialidades – CAESAR, R. Technographic listening: an experiment in feedback. Interference Journal, v. 6. Disponível em: < http://www.interferencejournal.org/technographic-listening-an-experiment-in-feedback >. Acesso em: 21 abr. 2021.
  2. Projeto: Conservação e inovação nas poéticas musicais contemporâneas – AGAMBEN, Giorgio. What is the Contemporary? In: AGAMBEN, Giorgio. “What Is an Apparatus?” and Other Essays. Stanford: Stanford University Press, 2009. p. 39-54.
  3. Projeto: Desenvolvimento de sistemas composicionais – BRUNO DEGAZIO, The Schillinger system of musical composition and contemporary computer music. Disponível em: < https://source.sheridancollege.ca/cgi/viewcontent.cgi?article=1009&context=faad_publications >. Acesso em: 21 abr. 2021.

Área: Processos Criativos – Linha: Práticas Interpretativas e seus Processos Reflexivos

  1. KIM, J. H. From the body image to the body schema, from the proximal to the distal: embodied musical activity toward learning instrumental musical skills. Frontiers in Psychology, Lausane, v. 11, article 101, p. 1-8, 2020.

DOUTORADO

ARTIGOS CIENTÍFICOS EM INGLÊS

Área: Musicologia – Linha: Etnografia das Práticas Musicais

  1. NETTL, Bruno.What are the great discoveries of your field? Informal comments on the contributions of ethnomusicology. Muzikoloski Zbornik, v. 51, n. 2, p. 163-174, 2015.

Área: Musicologia – Linha: História e Documentação da Música Brasileira e Ibero-americana

  1. TARUSKIN, Richard. The poietic fallacy. The Musical Times, v. 145, n. 1886, p. 7-34, 2004.

Área: Processos Criativos – Linha: Práticas Interpretativas e seus processos reflexivos

  1. O’NEILL, S; SLOBODA, J. Responding to performers: listeners and audiences. In: RINK, J.; GAUNT, H.; WILLIAMON, A. Musicians in the Making: pathways to creative performance. New York: Oxford University Press, 2017. p. 322-340.

TEXTOS EM IDIOMAS ALTERNATIVOS

Área: Musicologia – Linha: Etnografia das Práticas Musicais – Projeto: Música, interesse público e justiça social

  1. MIÑANA BLASCO, Carlos. ¿Etnomusicologías “latinoamericanas”?: contextos, tensiones y confluencias en una mirada desde Colombia. Música e Cultura, n. 11, v. 1, p. 7-35, 2019.

Área: Musicologia – Linha: História e Documentação da Música Brasileira e Ibero-americana – Projeto: Africanias: a música vocal brasileira e ibero-americana

  1. FRIEDEMANN, Nina S. de (1992) Huellas de africanía en Colombia. Thesaurus: boletín del Instituto Caro y Cuervo, v. 47, n. 3, p. 543-560, 1993.

Área: Musicologia – Linha: História e Documentação da Música Brasileira e Ibero-americana – Projeto: Música brasileira dos séculos XIX e XX: práticas composicionais em perspectiva histórico-analítica (os candidatos deverão optar por um dos dois textos)

  1. SPRICK, Jan Philipp. Kann Musiktheorie ›historisch‹ sein? Zeitschrift der Gesellschaft für Musiktheorie, v. 7, p. 145–164, 2010.
  2. DELLA SETA, Fabrizio. La musicologia europea oggi: quale identità? Il Saggiatore musicale, v. 13, n. 2, p. 307-313, 2006.

Área: Musicologia – Linha: História e Documentação da Música Brasileira e Ibero-americana – Projeto: Patrimônio Musical: práticas, representações e políticas públicas

  1. CHAMBAT-HOUILLON, Marie-France; COHEN, Évelyne. Archives et patrimoines visuels et sonores. Sociétés & Représentations, v. 35, 2013, p. 9-14.

Área: Processos Criativos – Linha: Práticas Interpretativas e seus processos reflexivos – Projeto: A canção brasileira urbana: origens e práticas (os candidatos deverão optar por um dos dois textos)

  1. MONARI. G. Introduzione alla storia del concetto di ‘canto popolare’. In: MONARI. G. Atti della Terza Giornata di Studi in Ricordo di Domenico Cieri. Roma: Associazione Regionale Cori del Lazio, 2008. p. 7-24.
  2. DUBIAU-FEUILLERAC. M. La mélodie française comme déclamation de poèmes: l’exemple des Ariettes oubliées de Claude Debussy. Revue Musicorum, v. 11, p. 35-51, 2012.

Área: Processos Criativos – Linha: Práticas Interpretativas e seus processos reflexivos – Projeto: Música brasileira para instrumentos de sopro: texto e performance (os candidatos deverão optar por um dos dois textos)

  1. COURLANGEON. P. L’expérience de la précarité dans les professions artistiques: la cas des musiciens interprètes. Sociologie de l’Art, v. 5, n. 3, p. 77-110, 2004.
  2. LIBIN. L. Progresso, adattamento ed evoluzione degli strumenti musicali. Disponível em: < https://users.unimi.it/musica/cons/libin.pdf >. Acesso em: 19 abr. 2021.

Área: Processos Criativos – Linha: Práticas Interpretativas e seus processos reflexivos – Projeto: Repertório camerístico brasileiro: texto e performance, séculos XIX e XX

  1. BARBUSCIA. A. La pratique musicale, entre l’art et la mécanique: les effects du metronome sur le champ musical au XIXe siècle. Revue d’histoire du XIXe siècle, v. 45, p. 53-68, 2012.

Área: Processos Criativos – Linha: Práticas Interpretativas e seus processos reflexivos – Projeto: O ato da performance musical: processos mentais e prática pedagógica

  1. FAUVEL, B.; GROUSSARD, M.; DESGRANGES, B.; PLATEL. H. Pratique musicale et plasticité cérébrale: l’expertise musicale permet-elle de se préserver du vieillissement neurocognitif? Revue de Neuropsychologie, v. 4, n. 2, p. 131-137, 2012.