Etnografias do trabalho musical em conjuntos e coletivos

Projeto de pesquisa do Grupo Laboratório de Etnomusicologia
José Alberto Salgado, docente responsável
Frederico Barros, docente
Jamerson Farias, doutorando

Idioma para processo seletivo (Doutorado)
francês

Apresentação

O projeto interliga dois interesses: a construção reflexiva e criativa de pesquisas etnográficas e a compreensão da música como trabalho e ação coletiva. Congrega estudos que investem no desenvolvimento crítico e criativo das práticas de interlocução, de teorização e de composição textual; e essa atenção à forma e à ética do trabalho epistêmico se articula com a tematização do trabalho coletivo em música, visto como objeto de estudo em qualquer de suas modalidades e etapas de produção.

As frentes de trabalho musical — o ensino, a interpretação, a composição, por exemplo — configuram-se em diferentes circuitos de trocas materiais e simbólicas, com técnicas, produtos, dispositivos e valores mais ou menos específicos. Neste projeto, tratamos de descrever e analisar esses fazeres para compreender como — com quais condições, mediações, projetos e resultados — as pessoas se organizam em grupos e coletivos para agir em determinada prática de música.

As pesquisas deste projeto buscam a compreensão — etnográfica, histórica e interdisciplinar — de características e problemas do trabalho musical em conjuntos e outras formas de associação, a partir da interlocução entre quem pesquisa e quem realiza música (sabendo-se que esses papéis muitas vezes se combinam, nas trajetórias pessoais). Cada pesquisador/a no projeto é responsável por conduzir um processo de interlocução com grupos ligados a uma prática musical delimitada, dando atenção especial a situações e problemas de trabalho e sustentação daquele grupo e daquela prática. Em diálogo continuado, construirão descrições, análises e teorização em seus relatos de pesquisa, para comunicação pública, colocando os métodos e resultados em constante discussão — com estudantes, profissionais e outros agentes no campo da música.

Objetivos gerais

Apoiar pesquisas e fomentar produção bibliográfica que tenham como objeto central o trabalho musical coletivo, em frentes e modalidades diversas. Elaborar teorizações situadas em práticas musicais, com contextualização histórica e metodologia centrada na interlocução entre pesquisadores/as e musicistas, além de outros/as participantes no trabalho de campo.

Metodologia

Os elementos centrais e compartilhados de metodologia se integram à tradição etnográfica e às suas práticas contemporâneas, e enfatizam:

  • a observação direta das ações e a observação participante;
  • a descrição de práticas musicais, mediante observações e convivência com praticantes;
  • os procedimentos de entrevista e a escrita em diálogo e “polifonia”;
  • a produção e análise de registros audio-visuais;
  • a pesquisa de fontes diversas para contextualização histórica;
  • formas variadas de comunicação remota e de coleta de dados empíricos.

Para além dessa matriz, cabe a cada pesquisador/a adaptar ou criar procedimentos adequados à prática musical do conjunto ou coletivo que se examina, incluindo a incorporação de sugestões e demandas de participantes. Este modo de proceder corresponde a um pensamento ético e democratizante sobre as relações sociais na produção de conhecimentos, notavelmente presente na produção contemporânea de pesquisas etnográficas.

Referencial teórico

Conceitos de referência, modelos analíticos e premissas teóricas e metodológicas são buscados no repertório de disciplinas diversas entre as Humanidades, Artes e Ciências Sociais, valorizando-se a autonomia de cada pesquisador/a para a construção de um referencial especialmente adequado a cada pesquisa.

Fazem parte de um núcleo básico e compartilhado:

  • as teorias sociológicas aplicadas às artes e à formação profissional, como a dos “mundos da arte”, de Howard Becker, e a dos “campos sociais”, de Pierre Bourdieu;
  • os recursos e as discussões metodológicas do “trabalho de campo” em antropologia e etnomusicologia;
  • filosofias e história do trabalho, na obra de Hanna Arendt, Richard Sennett, John White, Karl Marx, Ricardo Antunes, entre outros autores;
  • o acervo de pesquisas realizadas no âmbito de projetos anteriores sobre a temática geral do trabalho em música, com orientação do coordenador do atual projeto.

Referências

ARENDT, Hanna. The Human Condition. Chicago: Chicago University Press. 1958.

BARTZ, Guilherme Furtado. Identidade profissional e música erudita: músicos de orquestra, trabalho flexível e os dilemas da profissão. Opus, v. 26 n. 1, p. 1-23, 2020.

BECKER, Howard. “Mundos da arte e atividade colectiva”. In: Mundos da Arte. Lisboa: Livros Horizonte, 2010.

BECKER, Howard S. Art Worlds. Berkeley: University of California Press, 1983.

BECKER, Howard S. Outsiders – Studies in the sociology of deviance. New York, The Free Press, 1963.

BERLINER, Paul. Thinking in Jazz – The Infinite Art of Improvisation. Chicago: Chicago University Press, 1994.

BOURDIEU, Pierre. The Forms of Capital. In: RICHARDSON, J.G. (ed.), Handbook of Theory and Research for the Sociology of Education. New York: Greenwood Press, 1986.

BOURDIEU, Pierre. Practical Reason On the Theory of Action. Cambridge: Polity Press, 1998.

BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas. MICELI, Sergio (org.), São Paulo: Perspectiva: s/d.

BOURDIEU, Pierre. The Logic of Practice. Cambridge: Polity Press, 2002 [1990]. BRUBACHER, J. S. On the philosophy of higher education. San Francisco: Jossey-Bass,

CAMBRIA, Vincenzo. ”Cenas musicais”: reflexões a partir da etnomusicologia. Música e Cultura vol.10, 2017.

CAMPOS, Luís Melo. Modos de relação com a música. Sociologia, problemas e práticas, Lisboa, Portugal, no 53, p. 91-115, 2007.

CAMPOS, Luís Melo. Músicas & Músicos: Modos de relação. Lisboa: Celta Editora, 2008.

CAVES, Richard E. Creative Industries Contracts between Art and Commerce. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 2000.

CERTEAU, Michel de. The practice of everyday life. Berkeley: University of California Press. 1988.

CLIFFORD, James. The Predicament of Culture Twentieth-Century Ethnography, Literature, and Art. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 1988.

COTTRELL, Stephen. Ethnomusicology and the Music Industries: An Overview. Ethnomusicology Forum, Vol. 19, 1, 2010, p. 3-25.

DEWEY, John. The Field of Value. In: The Later Works, 1925-1953. Vol 16: 1949-1952. BOYDSTON, Jo Ann (ed.). Carbondale: Southern Illinois University Press, 1989.

ERTHAL, Julio Cesar Silva. Trabalho com música: um estudo etnográfico sobre as formas de organização e sustentação de grupos que atuam em Londrina. Tese (Doutorado em Música) Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2017.

FINNEGAN, Ruth. The hidden musicians Music-making in an English town. Cambridge: Cambridge University Press, 1989.

FRANÇA, Gabriel Muniz Improta. Ser músico no Rio de Janeiro: uma perspectiva comparada entre o movimento do sambajazz, dos anos 1960, e a atividade dos músicos profissionais hoje, nesta cidade. 2015. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1970.

FRITH, Simon. Performing Rites On the Value of Popular Music. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 1998 [1996].

GREGORY, Jonathan Alexander. Os carnavais do Monobloco: um estudo etnomusicológico sobre blocos e oficinas de percussão no Rio de Janeiro. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós- Graduação em Música, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2012.

HOFMAN, Ana. Music (as) Labour: Professional Musicianship, Affective Labour and Gender in Socialist Yugoslavia. Ethnomusicology Forum, 2015.

KINGSBURY, Henry. Music, Talent, and Performance A conservatory cultural system. Philadelphia: Temple University Press, 1988.

LACOMBE, Fabiano Thomaz. O Cordão do Boi Tatá: Relação com as noções de indústria cultural, profisisonalismo, tradição e mudança. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós- Graduação em Música, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2014.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

MENESES, João Luís dos Santos. O trabalho com música em Aracaju: uma etnografia em bares e festas  particulares. Dissertação em Música (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Música, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2020.

MENGER, Pierre-Michel. Retrato do artista enquanto trabalhador: metamorfoses do capitalismo. Lisboa: Roma Editora, 2005.

MERRIAM, Alan P. The Anthropology of Music. Evanston: Northwestern University Press, 1964.

NAVARRO, Leon dos Santos. A cena de música autoral independente em Niterói: perspectivas de atuação e profissionalização. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Música), Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2014.

NETO, Luiz Costa Lima. The Experimental music of Hermeto Paschoal e grupo (1981-1993): a musical system in the making. British Journal of Ethnomusicology Brazilian Musics, Brazilian Identities. Cambridge: British Forum for Ethnomusicology, 2000, p.119-142.

PACHECO, Marina Bonfim. Perspectivas do militar músico sobre a atividade musical. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Música). Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2013.

PACHECO, Marina Bonfim. Velhos Chorões de Jacarepaguá: um estudo etnográfico sobre as práticas musicais do Regional Tocata do Rio. Dissertação em Música (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Música, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2020.

PEACOCK, Alan. Paying the Piper Culture, music and money. Edinburgh: Edinburgh University Press, 1993.

PERES, Douglas Rocha.”Escola que tem professor de música é outra coisa”: um debate sobre as práticas docentes em educação musical no Ensino Fundamental da rede pública municipal do Rio de Janeiro. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Música, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2015.

REQUIÃO, Luciana. Eis aí a Lapa…: processos e relações de trabalho do músico nas casas de shows da Lapa. São Paulo: Annablume, 2010.

REQUIÃO, Luciana. “Festa acabada, músicos a pé!”: um estudo crítico sobre as relações de trabalho de músicos atuantes no estado do Rio de Janeiro. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, n. 64, p. 249-274, ago. 2016.

RUSKIN, Jesse D.; RICE, Timothy Rice. The Individual in Musical Ethnography. Ethnomusicology, Vol. 56, No. 2, Spring/Summer 2012, p. 299-327

SALGADO, José Alberto. Observações sobre uma orquestra. Cadernos do Colóquio 2001 do Programa de Pós-Graduação em Música, Rio de Janeiro: UniRio, 2003, p. 24-32.

SALGADO, José Alberto. Construindo a profissão musical: uma etnografia entre estudantes universitários de Música. (Tese de doutoramento). Programa de Pós-Graduação em Música, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2005.

SALGADO, José Alberto. Variações sobre o tema da gafieira: um conjunto na Lapa carioca. Debates, Rio de Janeiro, n.8, p.39-69, 2005.

SALGADO, José Alberto. Convivência em Conjuntos de Música — notas para a análise de valores no trabalho de uma orquestra. Música e Cultura, vol. 5, p. 1-9, 2010.

SALGADO, José Alberto. “O trabalho musical como temática: um panorama de pesquisas recentes no Brasil”. In: Anais do IX Encontro Nacional da Associação Brasileira de Etnomusicologia (ENABET) e XII Encontro de Educação Musical da Unicamp (EEMU): “Musicar local — aprendizagens e práticas”, Instituto de Artes da UNICAMP, 2019, p. 516-523.

SALGADO, José Alberto. A composição como trabalho semi-oculto e sua revelação em pesquisas acadêmicas. In: MARINHO, Helena; PESTANA, Maria do Rosário; ARTIAGA, Maria José; PENHA, Rui. (Eds.). Hidden archives, hidden practices: debates about music-making. Aveiro: UA Editora, 2020.

SALGADO, J. A.; MILITO, F. K. Ação musical, utopia e micropolítica em performance – um diálogo sobre atuações e projetos no Rio de Janeiro contemporâneo. Comunicado ao Congresso Internacional Performa’15, Universidade de Aveiro, 2015.

SALGADO, J. A.; NEVES, Karina de Almeida; SILVA. Leonardo Oliveira da. Conjuntos musicais e sua sustentação — um levantamento sobre o trabalho autônomo em grupos de música na cidade do Rio de Janeiro (2016-2020). Anais do 6º Nas Nuvens… Congresso de Música, 2020. https://musica.ufmg.br/nasnuvens/wp-content/uploads/2020/11/2020-SALGADO-Jose-Alberto-NEVES-Karina-de-Almeida-SILVA-Leonardo-Oliveira..pdf

SANDRONI, Clara. O ensino de canto popular nas universidades públicas brasileiras. (Tese de doutoramento). Programa de Pós-Graduação em Música, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2017.

SEEGER, Anthony. Etnografia da Música. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 17, p. 237-260, 2008.

SEGNINI, Liliana Rolfsen Petrilli. À procura do trabalho intermitente no campo da música. Estudos sociológicos, Araraquara, v.16, n.30, p.177-196, 2011.

SENNETT, Richard. The Craftsman. London: Penguin Books, 2009.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter. Conseqüências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 1999.

SLOBIN, Mark. Subcultural Sounds: Micromusics of the West. Hanover: Wesleyan University Press, 1993.

STRAW, Will. Cultural Scenes. Loisir et société/Society and Leisure, Vol. 27, n. 2, 2004, p. 411-422.

TAGG, Philip. From refrain to rave: the decline of figure and the rise of ground. In: Popular Music, vol. 13, n.2. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

TRAVASSOS, Elizabeth. Redesenhando as fronteiras do gosto: Estudantes de música e diversidade musical. In: Horizontes Antropológicos. Porto Alegre, UFRGS, 1999, p. 119-144.

TRAVASSOS, Elizabeth. Homogeneidade e singularidade, duas perspectivas na reprodução social dos músicos. In: I ENCONTRO ANUAL DA ABET, 2002b.

TURINO, Thomas. Music as social life: The politics of participation. Chicago and London: The University of Chicago Press, 2008.

TURNER, Victor W. The Anthropology of Performance. New York: PAJ Publications, 1988.

VELHO, Gilberto. Projeto e metamorfose – Antropologia das sociedades complexas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

VELHO, Gilberto. Individualismo e Cultura – Notas para uma Antropologia da Sociedade Contemporânea. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004 [1987].

WHITE, John. Education and the end of work. London: Institute of Education- University of London, 1997.

WULFF, Helena. Access to a closed world: methods for a multilocale study on ballet as a career. In: AMIT, Vered (ed.) Constructing the Field Ethnographic Fieldwork in the Contemporary World. London: Routledge, 2000, p.147-161.