Expansão, integração e novas interlocuções da Análise Particional

Projeto de pesquisa do Grupo MusMat
Pauxy Gentil-Nunes, docente responsável
Carlos Almada, docente
Liduino Pitombeira, docente
Daniel Moreira, doutorando
Bernardo Ramos Pinto, doutorando
Pedro Moraes, doutorando
Sergio Ribeiro, doutorando
Filipe Rocha, egresso
Pedro Zizels, egresso

Idioma para processo seletivo (Doutorado)
francês

Apresentação

A Análise Particional foi proposta, em 2003, por Pauxy Gentil-Nunes e Alexandre Carvalho como campo original de estudo, envolvendo a aproximação entre a Teoria das Partições de Inteiros, de Leonhard Euler (1748), atualizada por George Andrews (1984), e teorias de composição e análise musicais.

Desde então, uma vasta rede de colaborações foi tecida e uma série de resultados obtidos, tais como publicações, comunicações, obras musicais, aplicativos e projetos de iniciação científica, extensão e grupo de pesquisa. Propõe-se para o quadriênio 2014–2017 uma série de ações que promovam a expansão, integração e o estabelecimento de novas interlocuções para a exploração de possibilidades que surgiram no decorrer do processo de consolidação da teoria.

Objetivos e Procedimentos

O projeto pretende expandir as possibilidades de aplicação dos particionamentos rítmico e melódico, e implementar a aplicação dos particionamentos tímbrico e espacial.

Como a análise particional tem por objetivo básico a formulação de novos jogos criativos, inclui-se aqui, portanto, a criação de jogos baseados em particionamentos tímbricos e espaciais.

A pesquisa será desenvolvida a partir de análises, resultantes da interpretação de gráficos produzidos manualmente ou pelo software PARSEMAT.

Para a realização das análises, será necessário o levantamento de corpos teóricos referenciais, que fundamentem os particionamentos tímbrico e espacial. A escolha será feita levando em conta os usos destes corpos teóricos, inscritos em partitura ou explicitados em análises já realizadas.

A meta-análise comparativa será necessária, para estabelecer paralelos entre usos já consagrados e as possibilidades ainda não estabelecidas no uso. Como uma última etapa, a observação da aplicação dos particionamentos no processo criativo poderá ser realizada e documentada.

Referências

ALMADA, Carlos. GENEMUS: ferramenta computacional para composição com Grundgestalt e variação progressiva. [GENEMUS: computational tool for composition with Grundgestalt and development variation]. In: XXIII Congresso da ANPPOM. Anais… Natal: UFRN, 2013.

ANDREWS, George. The theory of partitions. Cambridge: Cambridge University, 1984.

ANDREWS, George e ERIKSSON, Kimmo. Integer partitions. Cambridge: Cambridge University, 2004.

CAGE, John. Experimental music. The Score and I. M. A. Magazine. 1955.

CODEÇO, André. Movimento de derivação gestual textural no I movimento de Codex Troano. In: Anais do XXV Congresso da ANPPOM. Vitória: UFES, 2015

EULER, Leonhard. Introduction to Analysis of the Infinite. New York: Springer-Verlag, 1748.

FORTES, Rafael. Particionamento de unidades poiéticas. In: Anais do XXV Congresso da ANPPOM. Vitória: UFES, 2015

GENTIL-NUNES, Pauxy. O discurso das partições: três pequenas análises. Cadernos do X Colóquio de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Música da UNIRIO. Rio de Janeiro: UNIRIO, 2005a.

GENTIL-NUNES, Pauxy. Partições e música: uma pequena resenha. Anais do XV Congresso da ANPPOM. Rio de Janeiro: ANPPOM, 2005b.

GENTIL-NUNES, Pauxy. Parsemat e o método de Fux. In: Revista Pesquisa e Música. Rio de Janeiro: Conservatório Brasileiro de Música, 2006b v. 1, p. 38-47.

GENTIL-NUNES, Pauxy. Análise particional: uma mediação entre composição musical e a teoria das partições. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro: UNIRIO, 2009.

GENTIL-NUNES, Pauxy. PartLin: aplicação da Análise Particional à textura melódica. In: Ray, Sonia. Caderno de resumos do 38 Festival Internacional de Música Belkiss Spenzieri Carneiro de Mendonça. Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 2013. v. 1, p. 49-52.

GENTIL-NUNES, Pauxy. Textura melódica e implementação computacional do Particionamento Linear [Melodic texture and the computational implementation of Linear Partitioning]. In: Anais do XXIV Congresso da ANPPOM. São Paulo: UNESP, 2014.

GENTIL-NUNES, Pauxy. Particionamento rítmico e domínios harmônicos em Le Marteau sans Maître — avant “l’artisanat furieux”, de Pierre Boulez. [Rhythmic partitioning and harmonic domains in Pierre Boulez’s  “Le Marteau sans Maître — avant ‘l’artisanat furieux’”]. In Anais do XXIII Congresso da ANPPOM. Natal: UFRN, 2013.

GENTIL-NUNES, Pauxy. Partitional Analysis and Rhythmic Partitioning: mediations between rhythm and texture. In: Principles of Music Composing: The Phenomenon of Rhythm. Vilnius: Lithuanian Composer’s Union, 2012.

GENTIL-NUNES, Pauxy e CARVALHO, Alexandre. Densidade e linearidade na configuração de texturas musicais. Anais do IV Colóquio de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação da Escola de Música da UFRJ. Rio de Janeiro: UFRJ, 2003.

GUIGUE, Didier. Estética da sonoridade. São Paulo: Perspectiva, 2007.

MOREIRA, Daniel e GENTIL-NUNES, Pauxy. Ornamental functions in textural domain from the proposal for a textural contour. In: Anais do XXV Congresso da ANPPOM. Vitória: UFES, 2015

MOREIRA, Daniel e GENTIL-NUNES, Pauxy. Contornos musicais e os operadores particionais: uma ferramenta computacional para o planejamento textural [Musical Contour and the Partitional Operators: A Computational Tool for Textural Design]. In Anais do XXIV Congresso da ANPPOM. São Paulo: UNESP, 2014.

MOREIRA, Daniel, GENTIL-NUNES, Pauxy e ALMADA, Carlos. Três abordagens analíticas da melodia de Melopéias n. 3/I para flauta solo de Guerra-Peixe. In: Anais do XXV Congresso da ANPPOM. Vitória: UFES, 2015

MORRIS, Robert. Compositional spaces and other territories. Perspectives of New Music. v. 33, p. 328-358, 1995a.

SANTOS, Jorge, ALMADA, Carlos e GENTIL-NUNES, Pauxy. Sistema-Gr e Parsemat no planejamento e criação de Ciclo Hápticos para Quinteto de Sopros. In:  Revista Debates. Rio de Janeiro: UNIRIO, 2015. v. 15, p. 82-103. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/revistadebates/article/view/5299. Acesso em 04/01/2016.

SANTOS, Jorge. A textura musical na obra de Pierre Boulez [Musical Texture on the work of Pierre Boulez]. In Anais do XXIV Congresso da ANPPOM. São Paulo: UNESP, 2014.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações Filosóficas. Tradução de G. E. M. Anscombe. Oxford: Basil Blackwell, 1956/2001.