Inscrições em disciplinas 2018-2

AGENDA

  • Início das aulas – 06/08/2018

* Atenção – As disciplinas obrigatórias oferecidas para alunos externos em regime especial terão apenas as suas cargas horárias aproveitadas em eventuais equivalências de disciplinas. Ou seja, caso haja matrícula posterior, elas deverão ser cursadas novamente durante a vigência da matrícula oficial no curso.

DISCIPLINAS 2018-2

Metodologia da Pesquisa em Música (MUD 781). Profs. José Alberto Salgado e Frederico Barros. Quartasfeiras, 14:00 às 17:00, Sala 2115 (20 vagas). Disciplina obrigatória para todos os alunos do curso de Mestrado do PPGMUFRJ, aberta para alunos externos em regime especial, caso haja vagas* consulte a agenda no início da páginaDiscussão acerca dos aspectos metodológicos e da importância dos métodos de pesquisa para o trabalho acadêmico em Música, enfatizando as conexões entre o conhecimento técnico-profissional e os demais campos do conhecimento em Música. Abordagem da sistemática geral da pesquisa, focalizando a definição do objetivo/problema, da contextualização teórica e da elaboração de projetos de pesquisa. Revisão da literatura sobre técnicas de coleta de dados, sistematização, análise e apresentação de resultados.


João MiguelSeminários de Educação Musical I (MUD 731). Prof. João Miguel Bellard Freire. Terçasfeiras17:00 às 20:00, Sala 2117 (15 vagas). Disciplina obrigatória para os alunos do curso de Mestrado do PPGMUFRJ vinculados à linha Música, Educação e Diversidade, aberta para alunos de outras linhas e alunos externos em regime especial, caso haja vagas consulte a agenda no início da página. Revisão crítica de literatura da área da Educação Musical e de educação geral a ela correlata, evidenciando as principais tendências e correntes de pensamento das áreas em questão e as respectivas inter-relações.


Seminários de Musicologia I (MUD 721). Profs. José Alberto Salgado (UFRJ), Maya Lemos, Vicenzo Cambria, Carole Gubernikoff, Erica Giesbrecht, Inês Rocha (UNIRIO). Quintasfeiras, 09:00 às 12:00, Sala 2104 e Sala Guerra Peixe – IVL/UNIRIO (15 vagas). Disciplina obrigatória para os alunos do curso de Mestrado do PPGMUFRJ da área de Musicologia e aberta para alunos externos em regime especial, caso haja vagas consulte a agenda no início da página. Introdução panorâmica às diversas subáreas da musicologia, separada ou conjuntamente, com apoio em bibliografia que contemple as principais linhas de investigação e seus autores exponenciais. Estudo teórico-conceitual da musicologia tout court, desde as origens da disciplina até o pós-guerra, com base na leitura de textos representativos da musicologia internacional, em suas diversas correntes: alemã, francesa, italiana, inglesa e americana. A disciplina também incluirá uma introdução à pesquisa musicológica em suas vertentes sistemática (voltada para as questões de linguagem e estruturação musical) e etnográfica: seus respectivos objetos, fundamentos epistemológicos, ferramentas, percursos históricos e tendências atuais.


Paulo Sá 02Seminários de Processos Criativos I (MUD701). Prof. Paulo Sá. Terçasfeiras, 14:00 às 17:00, Sala 2104 (15 vagas). Disciplina obrigatória para os alunos do curso de Mestrado do PPGMUFRJ da área de Processos Criativos e aberta para alunos externos em regime especial, caso haja vagas consulte a agenda no início da página. Introdução panorâmica às diversas subáreas da pesquisa em composição musical e práticas interpretativas, com apoio em bibliografia que contemple as principais linhas de investigação e seus autores exponenciais, bem como os quadros teóricos e metodológicos da subárea.


Fabio Adour foto para livro 2014Transcrição Auditiva (Tópicos Especiais em Educação Musical I – MUD 735). Prof. Fabio Adour. Quartasfeiras, 14:00 às 17:00, Sala 2105 (10 vagas). Disciplina optativa para alunos do curso de Mestrado do PPGMUFRJ e alunos externos em regime especial consulte a agenda no início da páginaO termo transcrição, no âmbito musical, é comumente empregado em duas concepções: como transposição de um material musical de um meio vocal/instrumental a outro; e com a conotação relativa à prática do reconhecimento auditivo. Essa disciplina se concentra na segunda acepção. Etimologicamente, a palavra transcrição remete ao registro escrito; no entanto, ela será entendida de modo abrangente, incluindo a possibilidade de registro apenas na memória e no corpo. A fundamentação congrega textos oriundos principalmente da Etnomusicologia e da Educação Musical, mas serão enfatizados os desdobramentos de sua utilização nos processos de ensino-aprendizagem. Outro foco do estudo é a prática da transcrição auditiva com o auxílio da tecnologia: as metodologias amparadas por softwares e a avaliação crítica de suas possibilidades e limites culturais e cognitivos.


RipperCriação em Ópera IV (Tópicos Especiais em Composição I – MUD 705). Prof. João Guilherme Ripper (convidado). Sextasfeiras, 14:00 às 17:00, Sala 2104 (15 vagas). Disciplina optativa para alunos matriculados nos cursos de Mestrado do PPGMUFRJ e externos em regime especial consulte a agenda no início da página. Estudo das formas dramáticas no teatro e na música, fundamentos literários, dramáticos e musicais para criação de libretos, cenas e atos; análise de libretos e partituras; estratégias de criação em ópera.


Origens e praticas da canção brasileira urbana: refletindo sobre a bibliografia (Tópicos Especiais em Práticas Interpretativas I – MUD 707).  Prof. Alberto Pacheco. Professor convidado, Ricardo Ballestero (USP). Sextasfeiras, 10:00 às 13:00, Sala 2105 (15 vagas). Disciplina optativa para alunos matriculados nos cursos de Mestrado do PPGMUFRJ e externos em regime especial consulte a agenda no início da páginaEste curso tem como objeto de interesse as origens e as práticas da canção brasileira urbana, não indo além do repertório composto antes da Segunda Grande Guerra. A canção é um dos gêneros musicais mais perenes da história da música e, no Brasil, plasmou um cancioneiro rico e variado, próprio de um país multicultural. Esse curso convida o aluno a refletir sobre esse repertório e sua prática interpretativa, que é igualmente multifacetada. Para tanto, faremos uma revisão bibliográfica panorâmica, mas bastante especializada, de textos referenciais na área. Neste processo, podemos fazer também uma apreciação crítica de exemplos do cancioneiro e de alguns reconhecidos intérpretes. No que diz respeito aos desafios fundamentais da prática interpretativa serão abordados: o estilo da canção de outros séculos; as variantes geográficas, sociais e diacrônicas da pronúncia; a interpretação da fonte primária com seus problemas de notação e edição; a escolha dos instrumentos; a variação e a ornamentação; o corpo do intérprete etc, o que pretende resultar numa postura mais crítica e informada diante da partitura.


MAVSeminários Avançados em Musicologia I (MUD 801). Profa. Maria Alice Volpe. Quintasfeiras, 14:00 às 17:00, Sala 2104 (15 vagas). Disciplina obrigatória para alunos da área de Musicologia do curso de Doutorado do PPGMUFRJ e optativa para demais alunos de Doutorado, Mestrado e alunos externos em regime especial, caso haja vagas consulte a agenda no início da páginaMapeamento das questões críticas da pesquisa em Musicologia, com ênfase nas tendências recentes, refletindo sobre os problemas teórico-conceituais e metodológicos dos discursos sobre a música de diversas tradições. O debate privilegia autores e textos representativos de diversas abordagens da pesquisa na área, visando intensificar a interlocução entre questões históricas, antropológicas, sociológicas, teóricas, analíticas e críticas, evidenciando as principais tendências e correntes de pensamento das subáreas em questão e suas respectivas inter-relações. Interlocução entre os pesquisadores da área de concentração Musicologia, propiciando um debate sobre sua fundamentação teórica, conceitual e metodológica, bem como sobre os diversos suportes bibliográficos das linhas e projetos de pesquisa a ela vinculados. A disciplina será ministrada necessariamente em regime compartilhado por docentes das respectivas linhas de pesquisa da referida área de concentração e/ou convidados de outras instituições.


Seminários Avançados em Processos Criativos I (MUD 803). Profs. Carlos Almada e Paulo Sá. Sextasfeiras, 14:00 às 17:00, Sala 2112 (15 vagas). Disciplina obrigatória para alunos da área de Processos Criativos do curso de Doutorado do PPGMUFRJ e alunos externos em regime especial, caso haja vagas* consulte a agenda no início da página. Discussão de temas diversos da pesquisa em processos criativos em música, promovida por pesquisadores do corpo docente do Programa e/ou convidados externos com produção expressiva em suas respectivas especialidades, através de revisão de literatura e reflexão, visando à atualização de conhecimentos e divulgação de avanços da ciência nos variados domínios de criação e interpretação musicais contemplados na área de concentração em questão, com vistas a subsidiar o desenvolvimento de pesquisas e análises.


SergioSeminários Avançados em Educação Musical I (MUD 831). Prof. Sergio Alvares. Quartasfeiras, 14:00 às 17:00, Sala 2104 (15 vagas). Disciplina obrigatória para alunos da área de Educação Musical do curso de Doutorado do PPGMUFRJ e alunos externos em regime especial, caso haja vagas* consulte a agenda no início da página. Mapeamento das questões críticas da pesquisa em Educação Musical, com ênfase nas tendências recentes, refletindo sobre os problemas teórico-conceituais e metodológicos dos processos educativos em diversos contextos educacionais. O debate privilegia autores e textos representativos de diversas abordagens da pesquisa em Educação Musical, em diálogo com as Ciências da Saúde, Etnomusicologia e Humanidades, considerando a perspectiva da diversidade e das práticas musicais abrangentes, promovendo um debate sobre sua fundamentação teórica, conceitual e metodológica, com ênfase na realidade brasileira.


ThelmaDiálogos entre Educação Musical e Musicoterapia. Tópicos Especiais em Educação Musical I (MUD 835).  Profa. Thelma Álvares. Quartasfeiras, 17:00 às 20:00, Sala 2104 (15 vagas). Disciplina optativa para alunos matriculados nos cursos de Mestrado ou Doutorado do PPGMUFRJ e externos em regime especial consulte a agenda no início da página. Diálogo entre a teoria e prática da Educação Musical e da Musicoterapia, visando a reflexão do trabalho/pesquisa do educador musical com grupos em situação de vulnerabilidade ou risco social.


Contra-hegemonias da forma: da música ritual indígena às experimentações contemporâneas. Tópicos Especiais em Musicologia I (MUD 824).  Profs. Ana Paula Lima Rodgers, Frederico Barros, Jonas Lana, Leonardo Fuks, Rodolfo Caesar, Samuel Araujo. Terçasfeiras, 10:00 às 13:00, Sala 2112 (15 vagas). Disciplina optativa para alunos matriculados nos cursos de Mestrado ou Doutorado do PPGMUFRJ e externos em regime especial consulte a agenda no início da página. Tendo como eixo a aproximação incomum entre sistemas musicais indígenas sul-americanos e a chamada música contemporânea, o curso buscará fornecer subsídios teóricos e analíticos para pensar esse contraste como uma démarche de cunho decolonial, tanto no sentido conceitual quanto formal-estrutural. Por situarem-se nas margens extremas de uma linha imaginária de exotismo, ambas as tradições musicais estão continuamente sujeitas a um lugar negativo, seja por simplificação seja por incompreensão, nas redes hegemônicas da escuta no Ocidente. Se isso se dá por uma impossibilidade intrínseca a uma certa insubmissão da forma, conforme assumida nas ritualidades holísticas indígenas e nos por vezes ascéticos experimentos de parte da musicalidade contemporânea, é uma questão a ser debatida. Nesse sentido, o curso começará com uma discussão sobre a matéria sonora, a partir de um ponto de vista sonológico e acústico, visando trazer fundamentos para uma melhor compreensão dos meandros estéticos envolvidos em ambas as empreitadas. Paralelamente, temas como ritmo, pulso, escalas e temperamento(s), timbre, “diferença e repetição” serão referidos bibliográfica e oralmente de modo a desafiar certezas categóricas sobre esses parâmetros. Outras tradições que não aquelas imediatamente identificadas como indígena sul-americana e ocidental contemporânea serão incluídas tendo em vista o seu potencial de suscitar (ampla ou parcialmente) divergências de interesse nas hierarquias da escuta. Esse esforço se insere em um pano de fundo envolvendo da questão da “complexidade” em música (ou seu correlato, “simplicidade”), que, comumente empregada como um juízo de valor banal, pode ser pensada de um ponto de vista filosófico e científico, com relação a sistemas e formas. Tal discussão será reavaliada durante o curso à luz das etnografias abordadas, uma vez que “complexidade” ou “dificuldade” aparece como categoria oriunda do próprio pensamento dos mestres indígenas, ou como o efeito provocado por tentativas incipientes de análise da forma nesse universo sonoro em suas sutilezas nada fortuitas ainda que transmitidas de modo exclusivamente oral. As aulas se darão em forma de seminários mistos com a participação dos professores convidados.


Metodologia na Prática. Tópicos Especiais em Musicologia I (MUD 824). Profs. Antonio Augusto e Marcia Taborda (UFRJ), Cesar Buscacio (UFOP). Sextasfeiras, 10:00 às 13:00, Sala 2104 (15 vagas). Disciplina optativa para alunos matriculados nos cursos de Mestrado ou Doutorado do PPGMUFRJ e externos em regime especial consulte a agenda no início da página. Propõe-se vivenciar a metodologia relacionada a abordagens específicas pertinentes  aos diferentes  processos de produção do conhecimento através de uma vivência prática das operações constitutivas da pesquisa  científica  na área de musicologia. O objetivo geral é o de consolidar os procedimentos e as bases epistemológicas que fundamentam as diversas abordagens metodológicas assim como apresentar ferramentas para o desenvolvimento  da pesquisa e possibilitar o contato com as principais fontes documentais brasileiras na área da ciências humanas. Os objetivos específicos envolvem o aprofundamento do conhecimento das fontes primárias, dos bancos de dados e de uma bibliografia introdutória ao tema em questão; o desenvolvimento de habilidades específicas, visando consolidar procedimentos referentes ao levantamento bibliográfico, hemerográfico e discográfico; a promoção do mapeamento e o conhecimento acerca das fontes documentais disponíveis nos principais acervos brasileiros.


Contribuições sobre as múltiplas manifestações do ritmo: a diversidade complexa do tópico mais fundamental na música  (Tópicos Especiais em Processos Criativos III – MUD 826).  Rodolfo Caesar, Sara Cohen e Luiza Alvim (UFRJ), Alexandre Fenerich (UNIRIO), Analu Cunha (UERJ), André Luiz Gonçalves de Oliveira (UNOESTE), Fernando Morais da Costa (UFF), José Augusto Mannis  (UNICAMP). Segundasfeiras, 14:00 às 17:00, Sala 2104 (15 vagas). Disciplina optativa para alunos matriculados nos cursos de Mestrado ou Doutorado do PPGMUFRJ e alunos externos em regime especial consulte a agenda no início da página. Discussão abrangente de temas de pesquisa em processos criativos em música enfocando o ritmo, promovida por pesquisadores do corpo docente do Programa e convidados externos com produção teórica e prática em suas respectivas especialidades. Serão apresentadas diversas noções e aspectos do ritmo, seja na escuta musical ou na experiência em geral, em suas diversas seções e interseções entre a experiência comum e as produções artísticas: as artes do vídeo, o cinema, as artes do som, a música instrumental e eletroacústica e a bioacústica. Os ritmos a-métricos de animais e as mínimas organizações rítmicas da música, as relações entre som e imagem no cinema e seus ritmos dentro de planos cinematográficos de longa duração, os ritmos da escuta, as relações rítmicas em trabalhos de arte contemporânea, o papel do ritmo na inteligibilidade do logos e na construção da linguagem, assim como processos de estruturação rítmica na música do século XX e as noções de tempo e espaço na música acusmática.


A JardimMúsica e Pensamento Poético (MUD 819). Prof. Antonio Jardim. Terçasfeiras, 11:00 às 14:00, Sala 2104 (15 vagas). Disciplina optativa para alunos matriculados nos cursos de Mestrado ou Doutorado do PPGMUFRJ e alunos externos em regime especial consulte a agenda no início da página. Estudo acerca dos modos de realização da produção da Música, desde sua dimensão ontológica, isto é, entendida desde o que a música é e de seus modos de presentificação, quer dizer, em sua dimensão como o ente que necessita ser. A música entendida como o que se faz produzido, o que é dito em grego (poiésis), isto é, o poético, a criação. A música como: 1) constituição de espaço-tempo próprios, para além do tempo cronológico e do espaço compreendido como extensão; 2) privilegiado modo de constituição da memória (do passado, do presente e do futuro), de concretude; 3) criação de tempo kairótico-eônico e como superação temporal das dimensões crônicas; 4) criação de espaço ontológico manifesto onticamente, isto é, como superação espacial das dimensões extensivas. Os eixos temáticos da disciplina são, sobretudo, música e memória, música e pensamento, música e linguagem, música e criação, música e sociedade, e música e história.


LiduinoIntrodução à Teoria PósTonal (MUD 834). Prof. Liduino Pitombeira. Quartasfeiras, 10:00 às 13:00, Sala 2112 (15 vagas). Disciplina optativa para alunos matriculados nos cursos de Mestrado ou Doutorado do PPGMUFRJ e alunos externos em regime especial consulte a agenda no início da página. Estudo da música pós-tonal da primeira metade do século XX, na perspectiva da Teoria das Classes de Conjuntos de Alturas de Allen Forte (Pitch class Set Theory). Exame do princípio de equivalência de oitava, notação modular, forma normal e prima, vetor intervalar, simetria transpositiva e inversiva, propriedades de séries dodecafônicas, invariâncias, combinatoriedade (Schoenberg) e derivação (Webern) e expansão paramétrica do serialismo (Messiaen, Babbitt, Boulez e Stockhausen). Aplicação em análise de obras musicais e no planejamento composicional metodologicamente desenvolvido a partir de bases teórico-estéticas.