O “ver e sentir” no texto do poema l’Après-midi d’un faune de Mallarmé e seu desdobramento textural no Prélude homônimo de Debussy

O “ver e sentir” no texto do poema l’Après-midi d’un faune de Mallarmé e seu desdobramento textural no Prélude homônimo de Debussy 📄
Fábio Monteiro de Souza | Carlos Almada

Resumo: Estudo sobre o vínculo entre o poema l’Après-midi d’un faune e o Prélude homônimo de Debussy.  O objetivo é avaliar de que maneira as ações textuais, que narram o conflito psicológico do fauno pelas ninfas, refletem-se texturalmente no Prélude. Embora diversos trabalhos tenham abordado o Prélude sob os mais variados aspectos, e ainda que alguns tenham realizado pertinentes investigações em relação ao parâmetro textural, em nenhum deles é abordada a relação entre imagem e textura. Como ferramentas metodológicas são utilizadas as correlações e considerações poéticas com o Prélude de David Code (2001) e a análise gráfica do programa computacional (PARSEMAT) (INDEXOGRAMA/PARTICIOGRAMA) (GENTIL-NUNES, 2009).

Palavras-chave: Linguagem do poema  l’Après-midi d’un faune. Prélude à l’aprés-midi d’un faune de Debussy. Textura. Análise particional