Possibilidades interpretativas em duas transcrições operísticas para piano: uma comparação do Miserere du Trovatore de Liszt e de Gottschalk

Possibilidades interpretativas em duas transcrições operísticas para piano: uma comparação do Miserere du Trovatore de Liszt e de Gottschalk 📄
Juliana Coelho de Mello Menezes | Midori Maeshiro

Resumo: O trabalho propõe possibilidades interpretativas para as paráfrases de concerto Miserere du Trovatore de F. Liszt ([1860]) e Miserere du Trovatore de L. M. Gottschalk (1864), baseadas na mesma obra de Verdi, porém dessemelhantes no ato interpretativo. Uma transcrição resulta da interpretação da obra original feita pelo transcritor (THOM, 2007), e uma transcrição operística apresenta implicitamente o significado da letra para o intérprete informado (CONE, 1974). Destarte, avalia-se o quanto da expressão da obra original (aspectos musicais e do texto) pode ser realizada pelo performer no piano e como a mudança de instrumento interfere na transcrição e nas suas possibilidades expressivas.

Palavras-chave: Interpretação musical. Transcrições operísticas. Miserere du Trovatore. Liszt. Gottschalk.