Repertório brasileiro para flauta e eletrônica

Projeto de pesquisa do Grupo Oficina de Música Contemporânea
Rodrigo Cicchelli, docente responsável

Idioma para processo seletivo (Doutorado)
francês

Apresentação

Dentre os aspectos que procuramos desvelar, encontram-se os seguintes: O que motiva a produção destas obras? Em que contexto se dá sua produção e difusão? Quais as questões estéticas, estilísticas e técnicas envolvidas na escrita instrumental (métodos de produção de alturas e ritmos) e na escrita eletroacústica (softwares e estratégias de manipulação e produção sonora)? Qual a relação destas obras com as demais na produção do compositor? Qual a relação destas obras com as demais do repertório brasileiro e internacional: há pontos em comum para além das escolhas instrumentais?

Adicionalmente, este projeto reflete o interesse em aliar a experiência como compositor e docente de música eletroacústica à prática instrumental como flautista. Não se trata, portanto, de um olhar musicológico distanciado sobre um determinado repertório. De fato, o ímpeto inicial esteve relacionado ao desejo de compor, tocar e gravar obras inéditas para flauta e eletrônica. Neste sentido, o projeto estimulará a produção e difusão de novas obras para esta formação.

A iniciativa sucede outra, em fase de encerramento, dedicada ao mapeamento e à discussão dos referencias teóricos que alimentam a produção de música eletroacústica no Brasil. Neste sentido, o novo projeto partilha com o anterior a curiosidade pelo que classicamente se tem denominado de nível poiético da criação musical.

Metodologicamente, o projeto se apoia em subsídios oriundos dos campos da História Oral e da Análise Musical, já que também as análises do nível neutro – das partituras – servirão de ajuda para compor este quadro. O processo analítico estará informado, assim, por entrevistas com compositores e abrangerá tanto aspectos relativos a sistemas de organização de alturas e durações, quanto questões de escrita instrumental e de realização eletroacústica.

Referências

BENT, I. (1990). Analysis. London: Macmillan

MEIHY, J. C. S. B. (2005). Manual de História Oral. 5ª edição. São Paulo: Editora Loyola

MOLINO, J. (1975). Fait musical et sémiologie de la musique. Musique en jeu. Paris, nº 17, p. 37-62

NATTIEZ, J.-J. (1975). Fondements d’une sémiologie de la musique. Paris: Union Générale d’Éditions

SIMONI, M. (ed.) (2005). Analytical methods of electroacoustic music. New York: Routledge

VELLOSO, R. C. e BARROS, F. M. (2014). Referenciais teóricos da música eletroacústica brasileira e a influência das matrizes históricas. Musica Hodie, Goiânia, V.14, n.1, p. 66-80