Midori Maeshiro

MidoriProfessora permanente / Coordenadora de Linha

Iniciou seus estudos musicais em Osaka (Japão), sua cidade natal. Especializou-se na Itália, Estados Unidos e Brasil onde fixou como principal residência a cidade do Rio de Janeiro. Doutora em Prática Interpretativa pela UNICAMP, maravilhou-se pela riqueza musical brasileira pesquisando, divulgando e gravando obras de autores nacionais incluindo primeiras audições de peças contemporâneas. Por ocasião das comemorações dos 90 anos de nascimento de César Guerra-Peixe, gravou um CD com suas Sonatas, Sonatinas e Valsas. Tem se apresentado em concertos no Brasil, Japão, Estados Unidos e Europa. Do seu repertório, consta também obras dos compositores japoneses T. Takemitsu, A. Yashiro e T. Kashiwagi. Entre as muitas atividades como concertista, apresentou um recital para o Imperador Akihito e a Imperatriz Michiko, em 1997 e um concerto para o Príncipe Herdeiro do Japão, Naruhito, em 2008. No Brasil, tem atuado com as orquestras Petrobras Sinfônica, Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra do Teatro Nacional Claudio Santoro e Orquestra Sinfônica do Paraná, entre outras. É detentora de doze primeiros lugares em concursos nacionais e internacionais. Realiza anualmente seminários sobre “Knowledge and Practice of Piano Performance on Brazilian Music” na Universidade de Tsukuba (Japão). Tem dedicado grande parte da atividade profissional à pesquisa que visa a publicação ou exposição de textos sobre temas na área de performance. Desde 2011 é professora de piano na Escola de Música da UFRJ, atuando nos cursos de extensão, graduação e pós-graduação.

Produção 2018

  1. Bibliográfica
    1. Publicação do artigo completo “A System Description Model to Integrate Multiple Facets with Quantitative Relationships Among Elements”, Human Interface and the Management of Information (HIMI 2018), âmbito internacional, vínculo temático com o projeto “Expressão musical: aspecto cinético como recurso na performance”.
  2. Técnica
    1. Participação como membro da comissão organizadora do evento “O Japão na UERJ”, concerto da OSRJ, Teatro Odylio Costa, UERJ, âmbito local, vínculo metodológico à linha “Práticas Interpretativas e seus Processos Reflexivos”.
    2. Participação como membro da comissão organizadora da 40ª JICTAC – UFRJ, âmbito local, vínculo metodológico à linha “Práticas Interpretativas e seus Processos Reflexivos”.
    3. Participação como parecerista, XXVIII Congresso da Anppom, âmbito nacional, vínculo metodológico com à linha “Práticas Interpretativas e seus Processos Reflexivos”.
  3. Artística
    1. Apresentação da obra “Isoldens Liebestood aus Tristan und Isolde”, de Wagner/Liszt, Semana de aniversário 170 anos da EM/UFRJ,  âmbito internacional, vínculo temático ao projeto de “Expressão musical: aspecto cinético como recurso na performance”.
    2. Estreia da obra “Trevo”, de Mario Ferraro, para trompete, violão e piano, XXIX Panorama da Música Brasileira Atual, âmbito nacional, vínculo metodológico ao projeto ‘Expressão Musical: aspecto cinético como recurso na performance”.